Artigo

PAISAGEM PLANEJADA: QUALIDADE PAISAGISTICA DE MODELOS DE REFERENCIAS SELECIONADAS E CASOS DE ESTUDOS

SILVA, Keiciel Santos Da1; HARDT, Leticia Peret Antunes3; ZANONI, Aline Bianca3; BARROS, Anderson Andrei de 3; HARDT, Carlos3; OLIVEIRA, Hérica Pereira da Rocha3; ROSE, Rafaela De3; PELLIZZARO, Patrícia Costa3; HARDT, Leticia Peret Antunes2;

Resumo

Introdução:Resultante da integração de duas pesquisas de iniciação científica, o presente trabalho visa contribuir para a avaliação da efetividade de planos diretores municipais na melhoria da paisagem urbana.

Objetivo:Nessa perspectiva, seus objetivos específicos são: levantar dados referentes à fundamentação teórica, conceitual e metodológica essencial à compreensão do tema principal, interpretar leis municipais para reconhecimento de diretrizes de planejamento da paisagem e analisar a qualidade paisagística das cidades selecionadas.

Metodologia:O estudo foi composto por três etapas: fundamentação de teorias e conceitos, com revisão de fontes secundárias, interpretação de diretrizes legais e análise de padrões qualitativos de cenas de quinze metrópoles consideradas por região do país: Norte: Belém, PA, Manaus, AM, e Palmas, TO; Nordeste: Aracaju, SE, Recife, PE, e Salvador, BA; Centro-Oeste: Brasília, DF, Cuiabá, MT, e Goiânia, GO; Sudeste: Belo Horizonte, MG, São Paulo, SP, e Vitória, ES; e Sul: Curitiba, PR, Florianópolis, SC, e Porto Alegre, RS, além do exemplo internacional de Bogotá, Colômbia.

Resultados:Os resultados indicam que as citações da temática são desiguais em termos numéricos nos planos diretores municipais, porém com preocupante ausência de preocupação acerca do assunto na grande maioria dos casos. As regiões Nordeste e Norte abrigam os polos metropolitanos com médias mais baixas de valoração paisagística, de maneira diferenciada das regiões Sul e Sudeste, que possuem valores finais mais elevados. Entretanto, a pontuação final do conjunto é quase nula, mas ainda superior à da capital colombiana.

Conclusões:Por fim, é possível concluir sobre a inexistência – ou insuficiência – de efetividade do planejamento em relação à valorização dos cenários urbanos, com consequências adversas à sua gestão.

Palavras-chave:Paisagem urbana. Planejamento e gestão. Avaliação de componentes paisagísticos. Cidades brasileiras. Exemplo internacional.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador