Artigo

INICIAÇÃO EM PESQUISA EMPÍRICA E EM PRÁTICAS RESTAURANT

GANEO, Luana1; SERRA, Marco Alexandre De Souza2;

Resumo

Introdução:Conhecer a realidade do concreto funcionamento da justiça criminal brasileira é uma necessidade. Para tanto, é necessário superar o senso comum disseminado principalmente pelos meios de comunicação de massa. Teorias e metodologias científicas específicas, vocacionadas para tal necessidade, podem ser identificadas. Soluções para o problema do hiperencarceramento também devem ser buscadas. A adoção de recortes mais específicos dentro desta totalidade é uma das possibilidades colocadas. O gênero feminino experimenta dificuldades típicas. A prática da justiça restaurativa conhecida como uma técnica de solução de conflitos que visa a criatividade e sensibilidade na escuta das vítimas e dos ofensores, deveria ser aplicada às mulheres criminalizadas.

Objetivo:Visando a familiarização com teorias e procedimentos de pesquisa científica capazes de permitir uma melhor compreensão do concreto funcionamento do sistema penal é que se propôs a leitura de textos que procuram sintetizar os resultados de pesquisas empíricas neste campo, bem como que propõem refletir a respeito dessas práticas. A adoção de práticas restaurativas como possibilidade de se debelar o impressionante crescimento da população feminina encarcerada precisa ser avaliada.

Metodologia:Procurou-se adotar uma metodologia que, por um lado, esteja alinhada ao propósito de melhor conhecer procedimentos de pesquisa que ao menos se distingam da mera revisão bibliográfica, e que, por outro, sejam apropriados a iniciantes nestes temas.

Resultados:O contato com a literatura sobre a realidade carcerária feminina e a familiarização com aspectos práticos da realização de pesquisa científica, ambos aliados à problematização das razões pelas quais os conflitos humanos são criminalizados, embora desalentadora, significa um enorme avanço.

Conclusões:A realidade é triste e precária. O fato de mais pessoas tomarem conhecimento dessa realidade de hoje, principalmente estudantes pode fazer muita diferença amanhã. Pode atribuir uma maior importância na garantia e proteção dos direitos das mulheres encarceradas, como também na aplicação da justiça restaurativa.

Palavras-chave:Giro punitivo. Pesquisa empírica. Justiça restaurativa.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador