Artigo

IMUNO-EXPRESSÃO DO OCT4 EM LESÃO POTENCIALMENTE MALIGNA DE BOCA

Silva, Rafael Felipe Xavier da1; SIQUEIRA, Filipe Modolo 3; NAGASHIMA, Seigo3; MORAES, Rafaela Scariot de3; AGUIAR, Maria Cássia Ferreira3; NORONHA, Lúcia3; LUIZ, Suelen Teixeira3; GREBOGGY, Denis de Lima3; JOHAN, Aline Cristina Batista Rodrigues2;

Resumo

Introdução:O carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço é a sexta lesão maligna mais comum no mundo. Evidências crescentes indicam que a iniciação, progressão, recorrência e metástase deste carcinoma são relacionados com o comportamento de uma pequena população de células-tronco tumorais, células que possuem a capacidade de se auto renovar e transformar-se em células especializadas. São conhecidos três fatores críticos na manutenção da pluripotência das células tronco: Oct4, Sox2 e NANOG, sendo que o NANOG regula a pluripotência das células-tronco por meio de complexas interações com inúmeros fatores. Desta forma, as implicações clínicas e terapêuticas têm atraído crescente atenção de pesquisadores para identificação de marcadores dessas células em carcinoma de células escamosas de boca.

Objetivo:Comparar a imuno-expressão de NANOG em carcinoma de células escamosas de boca com a mucosa bucal normal.

Metodologia:Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (# 1.010.973). A amostra foi constituída de 15 espécimes de carcinoma de células escamosas de boca e 16 espécimes de tecido de mucosa bucal normal, provenientes dos arquivos do Laboratório de Patologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Após o processamento dos espécimes, as lâminas foram submetidas a reação imunoistoquímica para NANOG e, em seguida, digitalizadas no programa ZEN (ZEISS Microscope Software ZEN Lite). Três regiões hotspots de Nanog no epitélio da mucosa bucal normal e das células neoplásicas malignas do carcinoma de células escamosas, foram selecionadas de cada lâmina e as imagens capturadas na magnificação de 100x. As fotomicrografias foram editadas em Adobe Photoshop® CS5, para permanecer somente o tecido epitelial. Após a edição, utilizou-se o programa Image Pro Plus 4.5 para obter-se a porcentagem da área nuclear positiva pela área do epitélio das fotomicrografias. Para comparação entre os grupos utilizouse o teste U de Mann-Whitney. O nível de significância adotado em todos os testes foi de 5% (p<0,05).

Resultados:Uma maior expressão imunoistoquímica para NANOG em carcinoma de células escamosas de boca (mediana 3,36) comparada com mucosa bucal normal (mediana 0,00) foi observada (p=0,00).

Conclusões:A maior imunoexpressão do NANOG em carcinoma de células escamosas de boca quando comparado com a mucosa bucal normal, sugere um possível papel deste marcador no desenvolvimento desta lesão. Este achado poderá, futuramente, fornecer subsídios para o desenvolvimento de novas ferramentas terapêuticas para esta lesão.

Palavras-chave:Carcinoma de células escamosas. Proteína Nanog. Células-tronco.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador