Artigo

AVALIAÇÃO DO COEFICIENTE DE ABSEOÇÃO SONORO DE FRIBRAS NATURAIS

SEIXAS, Victor Daniel1; LIMA, Key Fonseca De2;

Resumo

Introdução:A frota brasileira de veículos automotores é aproximadamente de 42 milhões. Em consequência deste fato, o ser humano está sujeito à exposição a ruídos indesejáveis emitido por estes veículos. A exposição prolongada ao ruído pode causar danos irreversíveis a nossa saúde, tais como: estresse, depressão, excessivo, insônia, hipertensão, arritmia cardíaca, pré-disposição a infecções, modificação dos índices de glicose, alterações no sistema digestivo, zumbido e surdez. Para atenuar ou eliminar estes ruídos faz-se a necessidade de se tratar acusticamente superfícies refletoras ou inserir silenciadores ou ainda, isolar as fontes de ruído. Para as três possibilidades citadas faz-se a necessidade do uso de materiais absorventes. Os materiais absorventes são geralmente fibrosos e consequentemente, porosos. Além disso, possuem a propriedade de serem excelentes dissipadores acústicos para uma grande faixa de frequência. Eles atenuam o ruído transformando a energia sonora incidente em calor.

Objetivo:Este projeto de IC júnior tem como objetivo avaliar o coeficiente de absorção sonoro de três tipos de fibras naturais (fibra da casca de coco, sisal e de cana de açúcar) com potencial para substituição de materiais sintéticos utilizados na indústria. Os materiais sintéticos utilizados na indústria não possuem descarte na natureza por não serem biodegradáveis ou por não permitirem sua transformação ou ainda, sua queima por liberarem gases tóxicos no meio ambiente.

Metodologia:Nos cinco primeiros meses de projeto, de abril ao início de setembro, foram realizadas o estudo dos conceitos básicos sobre atenuação sonora e a fabricação das amostras de fibras naturais nos moldes existentes no Laboratório de Dinâmica da PUCPR. Para este IC Jr foram fabricadas 5 amostras de cada material com espessura média entre 5 e 10 mm com os seguintes diâmetros: 62 e 80 mm. Na fabricação das amostras tentou-se deixar a densidade para todos os diâmetros constante.

Resultados:Até o momento foram encontradas duas dificuldades na fabricação das amostras devido a não homogeneidade das fibras. Primeiro, por se tratarem de materiais naturais, as fibras de um mesmo material apresentam comprimentos e diâmetros diferentes o que dificulta sua distribuição homogênea nos moldes. Segundo, devido a grande mudança de temperatura do ar e umidade controlar a espessura final das amostras é muito difícil.

Conclusões:O controle da espessura é de grande importância uma vez que para que os resultados comparativos entre os materiais, necessita-se que as densidades das amostras sejam relativamente iguais. As amostras abaixo de 333 kg/m3 serão refeitas novamente.

Palavras-chave:Fibras naturais. Fibra de coco. Fibra de sisal. Fibra de cana de açúcar. Coeficiente de absorção sonora.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador