Artigo

A VISÃO DOS “PADRES NOVOS” NO ESTADO DO PARANÁ SOBRE O MUNDO DE HOJE, SEGUNDO OS LEIGOS E AS LEIGAS

COSTA, Aldonir1; BRIGHENTI, Agenor2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa versa sobre - “A visão dos “padres novos” no Estado do Paraná sobre a Igreja hoje e o exercício do próprio ministério, segundo os leigos e as leigas”. É fruto da apresentação e análise preliminar de dados levantados por uma pesquisa de campo no Estado do Paraná, mais concretamente em três Dioceses representativas da diversidade e das particularidades da região: Curitiba, Maringá e Apucarana. O instrumento aplicado contemplava três blocos de questões, cada um com dez perguntas, cada uma delas com dez opções fechadas e uma aberta, para indicar três em ordem de importância.

Objetivo:Caracterizar o perfil dos “padres novos” no Brasil, para contribuir com os processos pastorais levados a cabo em suas Igrejas Locais e com a formação dos futuros presbíteros.

Metodologia:Para levantar o referido perfil, optou-se, por um lado, ouvir os “padres novos” diretamente, sobre como veem o mundo de hoje, a Igreja e o próprio ministério. Por outro lado, também se quis saber como os “padres novos” são vistos, tanto pelas pessoas sintonizadas com o perfil e o trabalho deles, como por outros segmentos, tanto do clero quanto dos leigos e leigas, religiosas, seminaristas e jovens que continuam sintonizados com o modelo de Igreja libertadora das décadas de 1970-1980. Este relatório apresenta resultados da análise dos dados levantados pela pesquisa de campo, relativo ao segundo e o terceiro blocos de questões: a visão dos “padres novos” sobre a Igreja, hoje, e o exercício do próprio ministério, segundo os leigos e as leigas.

Resultados:Nossa pesquisa constatou que os padres das décadas de 1970-1980 continuam muito mais ligados à renovação conciliar que os “padres novos”, hoje, mais sensíveis a questões ligadas à esfera individual e espiritual. A constatação é corroborada pelos leigos e leigas vinculados às duas perspectivas de padres. Para eles, continuam relevantes questões relativas aos problemas sociais, à ecologia, os pobres, o consumismo, a corrupção ou a falta de interesse pelo bem comum. Já os “padres novos”, no contexto atual, se mostram mais sensíveis às questões de ordem moral, espiritual e existenciais. Para estes, uma vida de bem-estar e conforto é um grande valor a ser perseguido.

Conclusões:Segundo a visão dos leigos e das leigas sintonizados com a perspectiva dos padres da perspectiva 1970/1980, os “padres novos” hoje estão mais preocupados com o espiritual e o emocional do que trazendo novas respostas as novas perguntas. Ao contrário, estão voltando a modelos pastorais providencialistas e nostálgicos de um passado sem retorno.

Palavras-chave:Presbíteros. Igreja. Vaticano II. Teologia da libertação.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador