Artigo

AVALIAÇÃO DA NEOVASCULARIZAÇÃO E DA INTENSIDADE DE FIBROSE EM CICATRIZAÇÕES DE QUEIMADURAS TÉRMICAS EM FLANCO DE RATOS TRATADOS OU NÃO COM CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS

FRANCISCO, Nathalia Forti1; LEITE, Lidiane Maria Boldrini3; FRANCK, Cláudio Luciano3; MOURA, Sérgio Adriane Bezerra De3; SENEGAGLIA, Alexandra Cristina2;

Resumo

Introdução:Queimaduras são lesões teciduais causadas por agentes externos diversos, como traumas térmicos, elétricos e químicos. A cicatrização da área lesada envolve processos bioquímicos e fisiológicos objetivando a restauração do tecido. Neste contexto, o tratamento com células-tronco mesenquimais (CTMs) poderia acelerar o reparo tecidual.

Objetivo:O objetivo deste estudo foi avaliar o processo cicatricial de lesões térmicas provocadas em ratos Wistar, comparando os animais que foram tratados com CTMs derivadas do tecido adiposo ao redor do tecido submetido a lesão e o grupo controle.

Metodologia:Vinte e quatro ratos Wistar, com seis a oito semanas de idade, foram distribuídos e avaliados em três grupos: Grupo Sem Lesão Térmica (animal com as estruturas da pele preservadas), Grupo Controle (ratos submetidos a lesão térmica e que não receberam o tratamento com as células-tronco) e Grupo Experimento (animais submetidos a lesão térmica e que foram tratados com CTMs). As CTMs utilizadas no grupo experimento foram obtidas do tecido adiposo de um único rato doador. Nos dias zero (lesão térmica) e quatro ocorreu a infusão de CTMs. Treze dias após o tratamento inicial os animais foram eutanasiados. Nesse momento as áreas submetidas a lesão térmica foram retiradas e avaliadas quanto a participação das CTMs na cicatrização e reestruturação do tecido lesionado. A intensidade de fibrose e a neovascularização no processo cicatricial de lesões térmicas foram realizadas por meio de técnicas de histoquímica utilizando respectivamente o Tricrômio de Masson e Hematoxilina & Eosina (H&E).

Resultados:No grupo Experimento houve maior deposição de colágeno e concentração de vasos sanguíneos em relação ao grupo Controle na região adjacente à queimadura. Não houve diferença significativa entre os grupos na avaliação dos vasos linfáticos.

Conclusões:A partir do estudo proposto foi possível avaliar o processo cicatricial de lesões térmicas provocadas em ratos Wistar, comparando os animais que foram tratados com CTMs ao redor do tecido submetido a lesão térmica e o grupo controle. A intensidade de fibrose no grupo Experimento sugere a antecipação no reparo tecidual em animais tratados com CTMs.

Palavras-chave:Lesão térmica. Células-tronco Mesenquimais. Terapia celular.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador