Artigo

REPRESENTAÇÕES DA ÁFRICA NA LITERATURA AFRICANA CONTEMPORÂNEA: REVERBERAÇÕES DE UM IMAGINÁRIO EUROCÊNTRICO OU A CONSTITUIÇÃO DA ÁFRICA VISTA “POR DENTRO” NA LITERATURA AFRICANA LUSÓFONA

SILVA, Arieli Raquel Goncalves da1; NEUNDORF, Alexandro2;

Resumo

Introdução:O presente trabalho tem como tema as “Representações da África na Literatura Africana contemporânea: reverberações de um imaginário eurocêntrico ou a constituição da África vista “por dentro” na literatura africana lusófona”

Objetivo:Apresenta como objetivo analisar a representação da África a partir da obra “A chaga” (1970) do autor moçambicano Castro Soromenho. Em um contexto histórico, social, cultural e político do qual a obra escolhida como fonte primária esta inserida, que o projeto buscou observar os registros do autor frente a conceitos que estão presente em toda a narrativa: identidade, etnocentrismo e representação.

Metodologia:No que tange a metodologia utilizada, a análise da fonte foi realizada com o auxílio de outras bibliografias, mas especificamente artigos e monografias que abordam de forma objetiva e direta o contexto histórico em que “A chaga” e Castro Soromenho estão inseridos, além de autores como Roger Chartier, Albert Memmi e Sandra Jatahy Pesavento entre outros terem contribuído diretamente na elaboração da pesquisa.

Resultados:Notou-se que a narrativa é recheada de conflitos, transformações, dominação e exploração, que marca grande parte do contexto africano entre os séculos XIX e XX, onde a África encontrava-se sob o domínio da colonização portuguesa, sendo assim, Soromenho traz em sua obra os registros de sua vivência ao lado da realidade dos nativos africanos frente as relações de poder estabelecidas pelo branco colonizador, a ampla exploração da localidade angolana e do negro como mercadoria.

Conclusões:Desta forma, conclui-se que a participação de Castro Soromenho na literatura africana lusófona é de suma relevância, pois apesar de fazer parte da elite branca africana, ele constitui o enredo de “A chaga” com base em sua trajetória de vida, denunciando as propagandas governamentais do governo de Salazar, a ampla exploração do português para com o negro, a dominação e a as mazelas sociais, neste sentido sendo possível identificar os conceitos de identidade, etnocentrismo e representação no cerne de toda a narrativa.

Palavras-chave:África. Angola. Colonização. Dominação. Exploração.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador