Artigo

A TRADIÇÃO, A CRÍTICA E AS REPRESENTAÇÕES DA MODERNIDADE EM FRIEDRICH NIETZSCHE: UMA ANÁLISE TRIANGULAR ENTRE FILOSOFIA E DOCUMENTOS DE INTIMIDADE

KRUG, Paola Roberta1; NEUNDORF, Alexandro2;

Resumo

Introdução:Realizar uma análise triangular sobre Friedrich Nietzsche sob a ótica das tradições, críticas e representações da Modernidade requer uma gama extensa de conjuntos e junções entre diferentes áreas do conhecimento. Sendo assim, partindo dessa perspectiva, foi necessário em um primeiro momento definir de maneira pontual os conceitos norteadores deste estudo, os quais são: Tradição, Modernidade e Representação. O filósofo alemão viveu uma conjuntura permeada por inúmeras transformações, especificamente, na Alemanha recém unificada a qual foi marcada por uma onda de modernização, assuntos que se tornaram visíveis em suas obras. A maneira como Nietzsche aborda essas temáticas perpassa por uma série de olhares críticos, olhares descrentes sobre sua realidade.

Objetivo:Com o intuito de identificar e compreender pontualmente estes fatos o objetivo desta pesquisa é compreender como o autor operou em relação à Modernidade, bem como estabelecer uma linha de análise triangular entre o contexto histórico, suas produções e seus escritos de intimidade.

Metodologia:O processo metodológico percorrido neste estudo para obtenção dos resultados esperados foi a definição do campo de estudos, dos conceitos medulares apresentados acima, maior entendimento do contexto histórico no qual Nietzsche se insere, leitura e análise de biografias e das duas obras selecionadas e por fim, o cruzamento destas informações em busca da resolução dos objetivos apresentados.

Resultados:Diante do aporte teórico e conceitual apresentado acima, temos então que as conexões de Nietzsche com a Modernidade e suas representações se tornaram claras, sendo assim, foi possível visualizar quais foram os objetos de estudos e de críticas apontados pelo filósofo.

Conclusões:Concluímos que a perenidade das tradições e das instituições que governavam as civilizações até então entram em estado de liquidez conforme o avanço da Modernidade, o qual transformava o homem em um ser acomodado, estagnado o que despertou as maiores inquietudes vivenciadas pelo filósofo que viajando além da tradição com suas palavras, demonstra seu pessimismo em relação ao homem moderno que se formava e que este homem deveria ser um indivíduo capaz de transpor a Modernidade e agir conforme sua razão

Palavras-chave:Modernidade. Representação. Tradições.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador