Artigo

DAS ALTERNATIVAS À MODERNIDADE, OU MODERNIDADES ALTERNATIVAS: A TRADIÇÃO, A CRÍTICA E AS REPRESENTAÇÕES DA MODERNIDADE EM HOWARD PHILLIPS LOVECRAFT

RESENDE, Vitor Lemes de1; NEUNDORF, Alexandro2;

Resumo

Introdução:A modernidade surge a partir da Revolução Frances em 1789 e ganha força com a Revolução Industrial inglesa no final do século XVIII espalhando-se para todo o globo. A modernidade se caracterizou por extensas modificações sociais e culturais, culminando na consolidação do capitalismo e da burguesia. Em 1890 na cidade de Providence, Estado de Rhode Island no EUA, nasceu Howard Phillips Lovecraft, que ficou conhecido, após a sua morte em 1937, como pai da ficção cientifica de horror. Inserido nesse mundo modernizado, Lovecraft atuou como um crítico ao período em que viveu, rejeitando os padrões modernos e buscando no passado da era colonial norte-americana o modelo ideal de sociedade. Através de seus contos e cartas é possível observar o seu pensamento em relação à sua época, bem como uma alternativa à modernidade

Objetivo:O objetivo desse trabalho é analisar, através de contos e documentos de intimidade – isto é, cartas – como H. P. Lovecraft operou sua crítica em relação a modernidade

Metodologia:A metodologia se deu na forma de levantamento do material deixado pelo autor, seus contos e cartas, bem como um estudo sobre sua biografia, tão importante para compreensão de suas motivações. Aliado a isso, foi necessário conceitualizar o campo Histórico através da História Intelectual e trazer à tona conceitos de Modernidade e Representação sob a ótica de autores como Noberto Bobbio e Roger Chartier. A partir dos resultados teóricos obtidos, foi possível cruzar as informações com as fontes primárias para obter a crítica de Lovecraft

Resultados:Lovecraft era filho da aristocracia americana e estes ideais perdiam espaço para a modernização, com base nisso observa-se a posição contrária do autor com o avanço de um novo costume social que ele considerava “feio” e decadente

Conclusões:Sua crítica a modernização estava fortemente ligada ao contexto em que viveu, uma pacata cidade do pequeno Estado de Rhode Island, que para ele era o Paraíso e dessa forma o avanço das grandes metrópoles, com seus imigrantes, prédios enormes e barulhos intermináveis, ameaçavam o seu Edén. Lovecraft mostrou-se adverso a isso, agarrando-se ao ideal da glória do passado da Nova Inglaterra. O autor, ainda, traz uma alternativa a modernidade que ele criticava, sendo a manutenção dos antigos costumes e normas sociais, aliados aos avanços da ciência e discurso filosófico

Palavras-chave:Lovecraft. Modernidade. Representação. Literatura e história. História intelectual.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador