Artigo

AVALIAÇÃO IMUNO-HISTOQUÍMICA DO NANOG EM LEUCOPLASIA BUCAL

TYSKI, Maria Carolina Albini1; SIQUEIRA, Filipe Modolo3; AZEVEDO, Marina Luise Viola De3; MORAES, Rafaela Scariot De3; AGUIAR, Maria Cássia Ferreira3; KITAHARA, Aldini3; NORONHA, Lúcia3; LUIZ, Suelen Teixeira3; JOHANN, Aline Cristina Batista Rodrigues2;

Resumo

Introdução:A leucoplasia bucal (LB) é a lesão potencialmente maligna mais frequente em boca e a chance de transformação maligna desta lesão varia de 2 a 3%. A graduação histológica de displasia epitelial (classificação da Organização Mundial de Saúde, 2005- OMS, 2005) é o indicador de maior relevância para determinação do risco de transformação maligna da lesão, entretanto, esta categorização é limitada, subjetiva e associada à variabilidade do avaliador. A ciência dos mecanismos moleculares implicados no processo de transformação maligna da LB é de suma importância para a futura elaboração de tratamentos menos agressivos e mais eficazes. Dessarte, novos marcadores são mandatórios para avaliar a LB, tal como NANOG, marcador de célula-tronco tumoral. De acordo com a teoria das células-tronco tumorais, somente uma subpopulação específica de células tumorais são capazes de iniciar e perpetuar o crescimento tumoral. Estudos sugerem que NANOG desempenha um papel na carcinogênese, correlacionando-se com tumorigenicidade, a invasividade e resistência terapêutica.

Objetivo:Objetivou-se avaliar a imunoxpressão do NANOG em LB, e na mucosa bucal normal (controle).

Metodologia:A amostra foi constituída de 16 casos de mucosas normais e 66 de LB, classificadas (Segundo a OMS, 2005) em 29 casos como discreta, 25 moderada e 12 severa e as lâminas foram submetidas á imuno-histoquímica para NANOG. As lâminas foram digitalizadas e as imagens foram analisadas no programa de morfometria, por segmentação semi-automática, sendo obtida a porcentagem da área nuclear positiva pela área do epitélio em micrômertos quadrados. Os testes de Kruskal-Wallis e teste de comparações múltiplas não paramétricas de Dunn foram utilizados. O nível de significância adotado foi de 5%.

Resultados:Houve maior expressão imunohistoquímica para NANOG para os casos de LB discreta (0,7483% núcleos positivos/ micrômetro quadrado de epitélio), moderada (0,7805%) e severa (1,5727%) quando comparados com o grupo controle (0,0080%) p? 0,00.

Conclusões:A maior expressão do NANOG na LB pode ser um indicativo de um possível papel no processo de carcinogênese dessa lesão.

Palavras-chave:Câncer. Leucoplasia. Células-tronco. NANOG.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador