Artigo

AVALIAÇÃO DA AÇÃO DA LACTOFERRINA EM BIOFILME PRODUZIDO POR CANDIDA ALBICANS PROVENIENTES DE ISOLADOS CLÍNICO

SILVA, Marinez Kimura Peres1; GORLA, Raquel Kubiack3; FARINAZZO, Eduardo Silva3; SANTOS, Fabiana Seifert3; BENASSI, Amanda Brevilheri3; MAGALHÃES, Jaqueline Mendes Da Luz3; KIY, Leticia Mayumi Carvalho3; KOCH, Ivo Henrique De Freitas3; ABE, Aline Tancler Stipp2;

Resumo

Introdução:As leveduras do gênero Candida spp. são responsáveis pela maioria das infecções fúngicas hospitalares, incluindo as infecções invasivas. Um dos principais mecanismos de patogenicidade dessas espécies é a formação de biofilmes. Entre todos, o biofilme formado pela Candida albicans é aquele que tem sido mais estudado e, portanto, maior conhecimento. Entretanto, devido à alta resistência à maioria dos antifúngicos e o efeitos colaterais por eles causados, o interesse em novos antifúngicos tem aumentado. Assim, o uso de produtos naturais, como a lactoferrina, tornou-se promissor.

Objetivo:Avaliar a ação antifúngica da lactoferrina em biofilmes formados por C. albicans provenientes de isolados clínicos de um hospital terciário de Londrina, PR.

Metodologia:As amostras foram identificadas em meio de cultura CHROMagar Candida. Foram escolhidas 4 amostras de C. albicans obtidas de sítios diferentes. Realizado, então, o preparo do inóculo, com ajuste celular para 107 células/ml, e inoculação em placa de microdiluição para pré-formação de biofilme em 24h. Testada, em seguida, a ação antifúngica da lactoferrina em diferentes concentrações. Os resultados foram obtidos mediante leitura visual da placa de microdiluição e cultura em placas de ágar Sabouraud. Todo o experimento foi realizado em duplicata.

Resultados:Apesar da alta concentração de lactoferrina testada (125mg/ml), não foi observada inibição sobre a formação do biofilme de C. albicans. A dose testada, neste estudo, foi quase 3 vezes maior que a testada anteriormente nessas mesmas amostras sem biofilme. Concentrações maiores não foram testadas devido à viscosidade apresentada na diluição das cápsulas de lactoferrina. Ao final do experimento, foi visualizado biofilme formado no fundo de todos poços testados e observado crescimento em placas de ágar Sabouraud quando cultivados.

Conclusões:Os mecanismos de resistência do biofilme já conhecidos, possivelmente, interferiram na ação da lactoferrina. O mesmo foi observado, em outros estudos, quando testados antifúngicos comuns. Além disso, o uso de lactoferrina não purificada também pode ter interferido nos resultados obtidos.

Palavras-chave:Candida albicans. Biofilme. Lactoferrina.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador