Artigo

AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DA ENDOCARDIOSE DE MITRAL

PORFIRIO, Julia Alves1; DIAS, Ingride Lengowski3; RAMOS, Natália De Oliveira3; RUBERTI, Bruna3; BRAGA, Karina Francini3; LOPES, Ana Paula Sarraff2;

Resumo

Introdução:A endocardiose de mitral é um processo degenerativo crônico progressivo das válvulas do coração que acomete principalmente cães. Ela é responsável pelas principais causas de insuficiência cardíaca congestiva (ICC) em cães. Essa cardiopatia apresenta alta morbidade e acomete principalmente a valva mitral, sendo cerca de 60% dos casos. É clinicamente significativa nos cães, principalmente os que apresentam idade mais avançada, acima de 7 anos de idade e de pequeno porte.

Objetivo:Fazer um levantamento clínico e epidemiológico da endocardiose de mitral dos pacientes atendidos na Clínica Veterinária Escola (CVE) da Pontifícia universidade Católica do Paraná (PUCPR) e compará-los com a literatura.

Metodologia:Durante o período de realização do projeto foram avaliados vinte e um animais com sinais clínicos de endocardiose, machos e fêmeas, de idades e raças variadas atendidas na clínica veterinária escola (CVE). Os pacientes foram avaliados com exames físicos, onde os que apresentavam sinal clínico na ausculta com sopro em foco mitral, foram submetidos a exame de ecocardiografia onde foram classificados de acordo com a fase da cardiopatia que consiste nos estágios A, B1, B2, C1, Q2, D1 e D2.

Resultados:Dos vinte e um animais atendidos, os resultados obtidos foram: os machos se apresentam com uma porcentagem de 52%, para 48% de fêmeas; A média de idade dos pacientes foi de 12,04 anos; Na caracterização do porte e raça, observaram-se animais de pequeno porte e um de grande porte com predisposição racial para sem raça definida (SRD) (20%), Poodle (15%), Maltês (10%), Pinscher Daschund (10%), Shi-Tzu (10%), Whippet (5%), Schnauzer (5%), Bull Terrier (5%), Lhasa Apso (5%) e Labrador (5%); Em relação à fase da endocardiose cada nesses pacientes observou-se a B1 com 52%, B2 43% e C com 5% dos pacientes avaliados.

Conclusões:A endocardiose é a doença cardíaca mais frequente na rotina clínica de animais de companhia. As raças mais comumente atendidas na Clínica Veterinária Escola foram o SRD e o Poodle, com idade em torno de 10 anos e mais em machos. A fase mais frequente dos pacientes atendidos foi a B1, em que há a doença, porém sem aumento cardíaco, não necessitando tratamento. Os exames complementares têm crucial importância para o diagnóstico da doença, pois sem eles não conseguimos diagnosticar e mensurar o grau da endocardiose em cada paciente, definir um prognóstico, as necessidades terapêuticas de cada um. Os pacientes em que são confirmados o diagnóstico, precisam ser reavaliados em períodos de tempo, para serem monitorados em relação ao tratamento e a evolução da doença, visando aumento da sobrevida e melhora da qualidade de vida.

Palavras-chave:Sopro. Degeneração mixomatosa. Tosse.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador