Artigo

O GÊNERO FEMININO E SUAS RELAÇÕES FAMILIARES

METZEN, Estefanie Cristina Deckmann1; JEISS, Angela De Fatima Ulrich2;

Resumo

Introdução:O tema da pesquisa é gênero feminino e a delimitação está nas suas relações familiares contemporâneas. Nesse sentido, entendemos que foi relevante a pesquisa sobre o convívio familiar, desde a sociedade agrícola, em que a mulher era vista apenas como progenitora. E, na sociedade contemporânea, a partir da Revolução Industrial sua participação nos meios de produção alterou o convívio e as relações familiares. A relevância desse estudo consiste, portanto, na atual necessidade do debate acerca das condições do gênero feminino no âmbito familiar, não só como aquela responsável por cuidar da casa, dos filhos e do/a cônjuge, mas como aquela que se empoderou para fazer os enfrentamentos do seu cotidiano, que estuda, trabalha e luta por um mundo de menos violência e equidade entre os gêneros.

Objetivo:O objetivo geral é descrever o papel do gênero feminino nas configurações familiares contemporâneas. Os objetivos específicos são: conceituar o gênero feminino em meio aos paradigmas atuais; pesquisar sobre o entendimento da categoria “família”; apresentar as diversas configurações familiares da contemporaneidade.

Metodologia:Quanto à coleta de dados, a pesquisa é do tipo exploratória e bibliográfica, tendo sido consultados 110 TCCs - Trabalhos de Conclusão do Curso de Serviço Social, disponíveis na Biblioteca Central da PUCPR e, destes, foi feita uma amostragem intencional com 23 TCCs, que apresentavam as terminologias: gênero feminino, mulher, mulheres, família, familiar, familiares. Os dados obtidos foram tabulados e inseridos em tabelas, sendo em seguida analisados com contribuições da técnica análise de conteúdo, com destaque para três categorias que compareceram na amostragem: responsabilidade, cultura e violência, por estarem correlacionadas ao gênero feminino.

Resultados:Os principais resultados obtidos se relacionam aos arraigados valores das expressões da questão social, como a violência contra a mulher, que se tornam parte da cultura familiar, em que as várias formas dessa violência, quando acumuladas por anos, se aglomeram e tornam-se o cotidiano e a rotina de um conjunto familiar; e que o processo histórico cultural do sistema patriarcal se sobrepõe ao gênero feminino.

Conclusões:A partir do empoderamento feminino e intervenção estatal por meio de políticas públicas e sociais, pode-se quebrar o círculo de violência e a cultura machista.

Palavras-chave:Gênero feminino. Família. Violência. Cultura. Políticas públicas.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador