Artigo

AVALIAÇÃO DO TEMPO DE INTERNAÇÃO E MORTALIDADE RELACIONADOS À TÉCNICA ANESTÉSICA EM CIRURGIAS ABDOMINAIS

PINHEIRO, Joao Pedro Sant Anna1; FERNANDES, Marcos Tadeu Parron3; FERNANDES, Karen Barros Parron3; KASAI, Guilherme Koiti Dos Santos3; OLIVEIRA, Carlos Eduardo Coral De2;

Resumo

Introdução:As cirurgias de grande porte cursam com grande potencial de dor no período pós-operatório. Nesse contexto, a técnica anestésica pode influenciar não só nas condições intra- operatórias, mas também no pós-operatório e na recuperação do paciente. A anestesia geral (intravenosa total ou venosa/inalatória balanceada) é a técnica amplamente difundida internacionalmente para as cirurgias de grande porte. Contudo, a associação da anestesia geral com uma técnica de anestesia regional pode representar uma alternativa satisfatória, embora exista carência de estudos de base populacional, principalmente no Brasil, que pudessem evidenciar se esta técnica combinada seria mais efetiva para determinados procedimentos cirúrgicos.

Objetivo:Este estudo objetivou comparar a técnica de anestesia geral e a técnica combinada bloqueio de neuroeixo (raqui ou peridural) associado à anestesia geral nos pacientes submetidos a cirurgias abdominais.

Metodologia:Esta coorte retrospectiva, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição (Parecer 821.925), foi desenvolvida a partir de uma amostra de prontuários de pacientes submetidos a cirurgias abdominais nos últimos 5 anos (2009-2014) em um hospital terciário do município de Londrina. Os indivíduos foram incluídos em dois grupos, segundo a técnica anestésica: G1 (grupo submetido à anestesia geral) e G2 (grupo submetido à técnica combinada). Os desfechos analisados foram: tempo de internação e mortalidade.

Resultados:Foram analisados os prontuários de 406 pacientes (203 homens e 203 mulheres). Os grupos mostraram-se pareados quanto ao gênero e classificação de risco anestésico. Similarmente, os grupos são pareados quanto à idade, índice de massa corpórea, perfil de multimorbidades e duração da cirurgia, representando que estas informações não são fatores de confusão na análise. Para os pacientes classificados como ASA I e II, não foi verificada associação entre a técnica anestésica e o tempo de internação (Teste de Mann-Whitney, p>0,05). Entretanto, para os pacientes classificados com ASA III e IV, observou-se maior tempo de internação nos pacientes submetidos à anestesia geral em comparação aos pacientes submetidos à técnica combinada (geral + bloqueio epidural), segundo o Teste de Mann-Whitney (p=0,03). Quanto à mortalidade, verificou-se maior mortalidade associada à anestesia geral em pacientes ASA III e ASA IV.

Conclusões:A partir destes resultados, pode-se concluir que a técnica anestésica foi capaz de reduzir o tempo de internação e mortalidade em pacientes com maior risco anestésico. Entretanto, estudos subsequentes são importantes para a confirmação desta hipótese.

Palavras-chave:Analgesia. Tempo de internação. Mortalidade. Anestesia geral. Bloqueio de neuroeixo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador