Artigo

UMA PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA DO PÚBLICO NOS MUSEUS DE ARTE CONTEMPORÂNEA DA CIDADE DE CURITIBA, PR

ROSA, Paula Emilia1; KRUGER, Caue2;

Resumo

Introdução:Mouseion, do grego, significa “Templo das Musas”, local destinado ao estudo das artes, ciências e história, tendo por objetivo operar como instrumento para a produção de novos conhecimentos, mas também promover reflexões e gerar negociação cultural: conexões entre o novo e o antigo, o dado e a memória (Barbosa e Coutinho 2015). Os espaços educativos de alguns museus permitem uma pedagogia para uma difusão cultural, tendo sido o MASP um dos pioneiros no Brasil no que se refere à interação entre o público e a arte. Desde então os museus passam a ser vistos como laboratórios para a difusão de conhecimentos que possuem a capacidade de potencialização reflexiva e não da mera reprodução de teorias ou conceitos sobre a arte. Um enfoque como esse enfatiza a construção do pensamento autônomo capaz de levar o indivíduo a uma ação prática de uma mudança em sua realidade e em sua comunidade. Os mediadores dos museus ganham papel preponderante nesse processo, pois tem como meta a busca de autonomia de interpretação do mundo simbólico das artes. (Barbosa e Coutinho, 2009:178). Tendo por base teórica Pierre Bourdieu e Ana Mae Barbosa, a pesquisa buscou investigar e analisar as iniciativas do Museu Oscar Niemeyer (MON) e do Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC) referentes as relações mediadoras.

Objetivo:Analisar as ações institucionais, conscientes ou não, sobre a mediação e interação entre o público e obras no Museu Oscar Niemeyer e no Museu de Arte Contemporânea do Paraná, que abrigam acervos de arte contemporânea em Curitiba.

Metodologia:A metodologia principal utilizada foi a da etnografia, como desenvolvida classicamente na antropologia e da observação oculta e participativa. Além da etnografia foi realizada uma excursão e um grupo focal com senhoras pacientes de uma Unidade de Saúde do município de Fazenda Rio Grande, e pesquisa bibliográfica.

Resultados:A arte contemporânea não tem como pré-condição necessariamente elevado capital cultural para sua contemplação, mas as mediações podem promover uma educação mais libertadora por possibilitar interação mais livre entre os visitantes e as obras. Existem muitas formas criativas de mediação e os museus são os lugares ideais para esse tipo de experimentação.

Conclusões:A experiência vivenciada com o grupo, revelou que a contemplação da arte remete à história e memória individual (e coletiva) de cada indivíduo. O estudo sobre mediação remete à discussão sobre acesso, o que implica múltiplas perspectivas, envolvendo desde educação de qualidade, informação, divulgação ampla (para todas as esferas sociais) e promoção de políticas efetivas que visem a tornar as instituições e a fruição artística mais democráticas. A mediação inovadora (e inclusiva) nos museus é elemento fundamental e considera-se nesse estudo que as atividades culturais propostas pelo MON e MAC foram bem sucedidas.

Palavras-chave:Sociologia da arte. Mediação cultural. Arte contemporânea.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador