Artigo

IMPLICAÇÕES DA DIETA SEM GLÚTEN NAS RELAÇÕES SOCIAIS DE CELÍACOS NO CONTEXTO DA ALIMENTAÇÃO FORA DO LAR: A PERCEPÇÃO DOS DOENTES

SANTOS, Andressa Singolani dos1; RIBEIRO, Cilene Da Silva Gomes2;

Resumo

Introdução:A doença celíaca (DC) é uma intolerância à ingestão e contato ao glúten, que atinge indivíduos geneticamente predispostos, caracterizada por um processo inflamatório que envolve a mucosa do intestino delgado, levando a atrofia das vilosidades intestinais, má absorção e uma variedade de manifestações clínicas. O tratamento da DC se dá através da total restrição no consumo de glúten, o que causa implicações tanto alimentares como sociais aos indivíduos com DC.

Objetivo:Analisar as implicações da dieta sem glúten nas relações sociais de celíacos no contexto da alimentação fora de casa à luz da bioética a partir da identificação da compreensão dos participantes sobre o conhecimento a respeito da doença celíaca.

Metodologia:Este estudo possui amostra composta por crianças e adolescentes de escolas municipais e estaduais de Curitiba, com doença celíaca. Foi utilizado para análise de necessidades alimentares especiais no ambiente escolar um questionário econômico, demográfico, antropométrico, de frequência alimentar, além de questões sobre doença e saúde. Foi aplicado, ainda, um roteiro de entrevista sobre a percepção do doente celíaco sobre sua doença, sua dieta e como se sente frente as barreiras impostas pela doença.

Resultados:Sobre a percepção dos mesmos quanto a alimentação fora do lar, no que tange a alimentação escolar, vê-se que 83,3% come a merenda da escola por fome ou vontade e passa mal em seguida, comprovando que esta não é adequada a sua necessidade alimentar. Muitos (66,6%) relatam ter medo de comer as ofertas alimentares da escola e acabam por levar comida pronta de casa para o consumo no local. Todos (100%) consideram a alimentação que tem em casa adequada, pois quem rege sua alimentação são seus pais ou responsáveis e o cuidado se apresenta através deles. Apesar de 83,3% considerar a alimentação na escola inadequada para seu consumo, consideram o fato da mesma não ser adequada à sua patologia como normal. Todos relataram ter dificuldades em consumir alimentos fora de casa e que se sentem estimulados a um consumo inadequado quando se alimentam fora de casa, já que não há ofertas adequadas a sua patologia.

Conclusões:Com base nos celíacos estudados verifica-se a necessidade de melhor caracterizar o cenário da doença celíaca. Considerando que apesar da maioria dos estudantes frequentar profissionais da saúde, eles possuem uma visão distorcida do que é uma alimentação adequada. Os entrevistados demostraram conhecer as consequências instantâneas de se consumir alimentos com glúten, porém não os problemas futuros que a doença pode acarretar, não lhes parece real no momento atual. Poucas ou quase nenhuma alternativa de produtos que supram suas necessidades são fornecidas. No dia a dia com seus responsáveis a pesquisa demostrou que a dieta está sendo feita, porém em festas ou no ambiente escolas, isso parece não ser possível.

Palavras-chave:Doença celíaca. Dieta sem glúten. Relações sociais.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador