Artigo

VALIDAÇÃO DA METODOLOGIA PARA QUANTIFICAR A PRESENÇA DE RESÍDUOS DE AFLATOXINA B1 PRESENTAS EM ÓRGÃOS DE TÍLAPIA DO NILO (OREOCHROMIS NILOTICUS)

THON, Bruno Machuca1; BARBOSA, Carolina Konkel3; IACHINSKI, Edevaldo Antonio3; MONTANHA, Francisco Pizzolato3; GALEB, Luciana Do Amaral Gurgel3; ANATER, Amanda3; PIMPAO, Claudia Turra2;

Resumo

Introdução:A aflatoxina B1 (AFB1), demonstra um potente efeito nocivo a animais e humanos, classificada como uma das mais potentes substâncias carcinogênicas, mutagênicas e teratogênicas, sendo que sua ingestão crônica através de alimentos contaminados é um dos fatores relacionados ao câncer hepático.

Objetivo:O objetivo desse trabalho foi validar a metodologia para quantificar a presença de resíduos de AFB1 presentes em órgãos e conteúdo intestinal de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus).

Metodologia:Foi utilizado um pool de 50 tilápias para a extração de AFB1 nas amostras de fígado, rins e conteúdo intestinal. Antes de iniciar o processo de extração as amostras foram contaminadas com três diferentes concentrações 5, 10 e 15 ppb de AFB1. As características de desempenho, incluindo linearidade, especificidade, precisão, limites de detecção (LOD) e de quantificação (LOQ), recuperação e efeito de matriz foram obtidos de amostras representativas dos tecidos. As amostras foram analisadas através de cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massas (LC-MS/MS). A determinação cromatográfica foi efetuada com coluna de fase reversa Gemini NX C18 (150 x 2,0 mm, 5 m).

Resultados:Após as análises cromatográficas das amostras de fígado não houve recuperação (0%) na amostra fortificada com 5 ppb e nas demais amostras (10 e 15 ppb) houve recuperação de 1,20% e 28,53%, respectivamente. Nas amostras de rins os valores encontrados foram de: 7,19%, 8,19% e 7,00% nas concentrações de 5, 10 e 15 ppb, respectivamente. Nas extrações de conteúdo intestinal, não houve recuperação (0%) nas amostras de 5 e 10 ppb e nas amostras fortificadas com 15 ppb houve uma recuperação de 27,23%.

Conclusões:Os métodos utilizados nas extrações de AFB1 em amostras de fígado, rins e conteúdo intestinal de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus), não foram eficientes para superar a complexidade das amostras e com isso a validação da metodologia não foi alcançada.

Palavras-chave:Fígado. LC-MS/MS. Micotoxina. Rins. Peixes. Pescado.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador