Artigo

SEMIÓTICA DO SILÊNCIO: O FALSO EMPODERAMENTO FEMININO NAS CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS

VRIESMAN, Agatha Grzybowski1; ABECHE, Daniel Pala2;

Resumo

Introdução:O cenário publicitário ainda é marcado por uma latente objetificação da mulher, entretanto inicia-se uma transição e este cenário apresenta modificações. Devido às tendências feministas e à importância da mulher no consumo e na decisão de compra, o femvertising ganha destaque, embora esse novo posicionamento seja questionável. Esse empoderamento é autêntico ou apenas uma estratégia mercadológica? Aparentemente há incoerências. Por trás dos novos discursos e das novas identidades visuais, ainda permanecem sinais da inferiorização feminina, elementos que muitas vezes passam despercebidos, silenciados, concordantes com uma violência estrutural e socialmente aceita.

Objetivo:Diante deste cenário, o presente Projeto teve como objetivo analisar os signos que, manifestos por meio do silêncio - e por isso, frequentemente imperceptíveis - carregam significados inerentes ao machismo estrutural.

Metodologia:A metodologia adotada foi a hipotético-dedutiva. Foram analisados alguns anúncios brasileiros contemporâneos declarados empoderadores, embora ainda apresentem em sua essência características que contradizem tal posicionamento, sugerindo que tais comerciais disseminam um falso empoderamento. Foi adotada a semiótica de Charles S. Peirce como aporte teórico para crítica e discussão.

Resultados:Os resultados preliminares indicam que o empoderamento não é real. Há elementos, tanto na imagem quanto no discurso, que ainda sugerem uma mulher objetificada, submissa e refém dos padrões estéticos e comportamentais, que permanecem escusos, aparentemente silenciados - mas, abarcados pela normalização do machismo, não são reconhecidos.

Conclusões:A publicidade brasileira realmente está mudando, contudo há diferença entre o eminente modismo girl power e um posicionamento real e efetivo. O empoderamento feminino não pode se limitar apenas a um slogan bonito, ele não deve se restringir exclusivamente à uma estratégia de venda. Acredita-se que suas premissas devam ser pertencentes ao pensamento e imaginário social e cultural, assim como a sua aplicação em estratégias publicitárias não seja o único intuito.

Palavras-chave:semiótica. Silêncio. Empoderamento. Mulher. Publicidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador