Artigo

O "VÉU DE MAIA" EM SCHOPENHAUER

ROSA, Natalia da1; DECOCK, Diana Chao2;

Resumo

Introdução:É comum afirmarmos que a filosofia de Schopenhauer teve influência do pensamento budista e hinduísta. Porém, há discussões, entre seus intérpretes e indólogos, em relação à autenticidade e legitimidade de tal influência, principalmente, porque alguns compreendem que Schopenhauer não teve acesso direto aos textos sagrados indianos. Outra discussão, é que Schopenhauer teria primeiramente formulado sua filosofia, e depois selecionado trechos dos ensinamentos orientais que condiziam e confirmavam suas próprias teorias.

Objetivo:a pesquisa teve como objetivo central identificar e compreender o significado da expressão indiana Véu de Maia na obra “O mundo como vontade e representação” de Schopenhauer.

Metodologia:para alcançar o objetivo do trabalho, num primeiro momento, foi realizada a leitura da obra magna de Schopenhauer, e, para facilitar a compreensão do conceito de Véu de Maia e sua relação com a filosofia de Schopenhauer, foi utilizado alguns intérpretes do filósofo alemão. Além disso, identificamos o conceito de representação, fundamental em sua teoria, usando filósofos e historiadores para tal objetivo.

Resultados:foi possível observar que, de acordo com Schopenhauer, o Véu de Maia é o que cobre a visão do humano e o inibe de enxergar a verdadeira realidade, a essência do mundo, entendida pelo filósofo como vontade. Absolvido pelo Véu de Maia, o humano não somente se prende a uma ilusão epistemológica, como também se torna incapaz de uma ação dotada de valor moral.

Conclusões:a partir disso, concluiu-se que para o autor é possível, em alguns casos, o rompimento desse véu que cobre os olhos de todos, e a partir daí olhar o próximo, rompendo o individualismo e o egoísmo, negando até mesmo a vontade.

Palavras-chave:Véu de Maia. Schopenhauer. Pensamento indiano. Budismo e hinduísmo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador