Artigo

COMUNIDADE DE AVES FLORESTAIS EM UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO NO LITORAL DO PARANÁ RIQUEZA, ABUNDÂNCIA E GRUPOS FUNCIONAIS

PIRES, Rodrigo Maschio1; CARRANO, Eduardo2;

Resumo

Introdução:Na Mata Atlântica, assim como em outros biomas brasileiros impactados pela perda de habitat, as aves vêm sendo estudadas como bioindicadoras e agentes da restauração ecológica.

Objetivo:O presente estudo teve como objetivo analisar a riqueza, composição e sazonalidade de ocorrência de aves em uma Unidade de Conservação, a Floresta Estadual do Palmito - FEP (25º35’S-48º30’W), localizada no município de Paranaguá, região litorânea do estado do Paraná.

Metodologia:A área ocupa 530 ha, recobertos por Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas, restinga, manguezais e locais de ocupação humana. As amostragens de campo foram realizadas mensalmente entre agosto de 2016 e maio de 2017, através de contato visual e auditivo das espécies totalizando 160 horas de esforço amostral.

Resultados:Durante o inventário foram registradas 155 espécies, pertencentes a 48 famílias distintas. No total, 25 espécies registradas estão inseridas em diferentes categorias de ameaça de extinção, em nível mundial, nacional e estadual sendo elas: Tinamus solitarius, Crypturellus noctivagus, Penelope superciliaris, Accipiter bicolor, Amadonastur lacernulatus, Amaurolimnas concolor, Ramphodon naevius, Lophornis chalybeus, Chloroceryle aenea, C. inda, Malacoptila striata, Ramphastos vitellinus, Piculus flavigula, Amazona brasiliensis, Triclaria malachitacea, Myrmotherula unicolor, Eleoscytalopus indigoticus, Procnias nudicollis, Platyrinchus leucoryphus, Phylloscartes kronei, Hemitriccus orbitatus, Phyllomyias griseocapilla, Cyanocorax caeruleus, Thraupis cyanoptera e Tangara peruviana. Com relação à sazonalidade, a riqueza de espécies variou conforme as estações do ano, sendo os meses de primavera e verão os mais representativos em razão da presença de temperaturas mais elevadas, presença de espécies migratórias, maior disponibilidade de recursos e período reprodutivo.

Conclusões:A riqueza registrada foi relativamente expressiva, quando comparada a outros estudos similares na Mata Atlântica da região sul do Brasil, principalmente em relação as espécies raras ou ameaçadas de extinção. Desta forma, ressalta-se a importância de se proteger as Unidades de Conservação, nas quais, por mais que a espécie esteja em risco, ainda propiciam condições favoráveis para a sobrevivência dessas espécies e a consequentemente manutenção de suas populações.

Palavras-chave:Espécies endêmicas. Avifauna. Floresta Estadual do Palmito.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador