Artigo

ANÁLISE IN VITRO DO EXTRATO DE CAMPOMANESIA XANTHOCARPA NA ATIVA?ÇÃO CELULAR EM LINHAGENS HUVEC (EA.HY926)

LIMA, Jean de1; HERAI, Roberto Hirochi3; AITA, Carlos Alberto Mayora3; CUNHA, Eduardo Del Bosco Brunetti2;

Resumo

Introdução:A mortalidade causada por doenças cardiovasculares em países em desenvolvimento, incluindo o Brasil, vem crescendo com o passar dos anos. Sendo assim, é importante investigar tratamentos para aterosclerose, pois esse processo inflamatório crônico é uma das principais causas primárias de diversas doenças cardiovasculares. A aterosclerose está interligada a monócitos e macrófagos que desempenham papel importante na formação das placas ateroscleróticas. Essas células por sua vez, dependem de estímulos promovidos por citocinas e pelo aumento das moléculas de adesão, como a PECAM-1(CD31), para invadir o espaço subendotelial de vasos sanguíneos e se diferenciarem em macrófagos. Devido a um estresse oxidativo, os macrófagos sintetizam mais citocinas tornando o processo inflamatório extremamente duradouro. O endotélio lesado acaba adquirindo atividade pró-coagulante e perdendo suas propriedades anticoagulantes, fibrolíticas e antiagregante plaquetária. Um estudo recente baseado na crendice popular, aponta que o extrato de Campomanesia xanthocarpa (“Guavirova”) é capaz de reduzir os níveis séricos de colesterol, principalmente LDL e o estresse oxidativo do plasma de pacientes com colesterol elevado.

Objetivo:O presente estudo propôs avaliar o efeito do extrato de C. xanthocarpa na viabilidade de linhagens celulares endoteliais humanas (EA. HY926) e se o mesmo é capaz de modular in vitro a expressão dos marcadores CD14, CD31, CD105, e HLA-DR.

Metodologia:A viabilidade celular foi analisada pelo teste de MTT, enquanto a expressão dos marcadores nas células EA.HY926 foram avaliados por citometria de fluxo.

Resultados:As viabilidades celulares não foram comprometidas na presensa do extrato nas concentrações de 25, 50 ?g/ml em nenhum dos tempos, porém na concentração de 100 e 500 ?g/ml no tempo de 72h, a viabilidade das células foi afetada. Os dados da citometria de fluxo demonstraram a redução da expressão de CD14 nas células EA. HY926 na presença do extrato com IFN- ?, quando comparado ao grupo sem extrato e com IFN- ? (p= 0,025). Além disso, foi verificado a redução de expressão do marcador PECAM-1, sendo na presença do extrato e de IFN- ?, quando comparado ao grupo sem extrato e com IFN- ? (média 46,15%) (p= 0,028). Não foi identificada alteração significativa na expressão nos demais marcadores.

Conclusões:Portanto, o extrato de C. xanthocarpa apenas em altas concentrações apresentou uma diminuição da viabilidade celular, já a redução da expressão das moléculas CD14 e CD31 nas células EA. HY926, pode levar a diminuição de citocinas (IL-1?, IL-6 e IL-8) e migração dos monócitos para o interior da íntima, o que contribui para diminuição da resposta inflamatória crônica que ocorre durante a aterosclerose.

Palavras-chave:Aterosclerose. CD14. PECAM-1. Campomanesia Xanthocarpa.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador