Artigo

EFEITOS DA AMPLITUDE E DO TEMPO DE DESLOCAMENTO NA RECUPERAÇÃO DO EQUILÍBRIO

KLUK, Jean Michel1; AGUIAR, Matheus Lucas3; SCHEEREN, Eduardo Mendonca2;

Resumo

Introdução:Por mais simples que possa parecer, é um grande desafio manter-se em pé e em equilíbrio. A recuperação do estado de equilíbrio é realizada pelo sistema nervoso central, que utiliza dois modelos para a realização do controle do centro de massa. Ajustes posturais antecipatórios, alterações no potencial de ação de músculos posturais com contrações entre -100 a 150 ms antes do movimento; e ajustes posturais compensatórios, movimentos de flexão do quadril ou passo. As quedas são um dos problemas mais comuns associados ao avanço da idade, e ainda muitas são as dúvidas associadas ao aumento do risco de queda e o controle postural.

Objetivo:O presente estudo teve como objetivo determinar o tempo de deslocamento necessário da plataforma móvel para extrapolar os limites da estabilidade postural, visando compreender o que leva uma pessoa a perder o equilíbrio e cair.

Metodologia:termos “caidores” (10 sujeitos), para aqueles que usaram a estratégia do passo ou seguraram-se na corda, e “não caidores” (20 sujeitos) para quem resistiu a perturbação sem a perda do equilíbrio. Foram estes submetidos a uma perturbação com deslocamento de 600 mm, aceleração de 5000 mm/s², pico de velocidade a 250 m/s, tendo uma duração de 2,52 s. As variáveis analisadas foram o tempo de latência muscular dos músculos TA, VL, GM e SO, o tempo ativo dos mesmos, latência e amplitude de deslocamento do CP. A captura dos dados foi realizada por meio de uma plataforma de força, e os sinais obtidos processados com o Software Matlab.

Resultados:Os resultados apresentaram diferença entre os não caidores para os músculos TA e SO (p=0,03), referente ao tempo de latência. Para o tempo ativo foi encontrada diferença entre os grupos para o músculo GM (p=0,047). O comportamento do CP se mostrou diferente entre os grupos na latência (p=0,000) e no deslocamento (p=0,000).

Conclusões:Diante dos resultados obtidos pode-se afirmar que os ajustes antecipatórios mostraram ser a melhor estratégia para a retomada do equilíbrio, bem como o fator determinante para evitar quedas, sendo caracterizado por uma rápida resposta da musculatura agonista à perturbação.

Palavras-chave:Perturbação do equilíbrio. Queda. Ativação muscular.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador