Artigo

PISICANÁLISE E METAFÍSICA: A NOÇÃO DE TRIEB EM FREUD E NIETZSCHE

OLIVEIRA, Joao Felipe Parastchuk de1; FONSECA, Eduardo Ribeiro Da2;

Resumo

Introdução:Considerando que a violência é um fenômeno que se expressa pela manifestação de uma força. Assim, como confirma sua etimologia, uma vez que, tendo surgido no início do século XIII em francês, a palavra "violência" deriva do latim “violentia”, que nos remete a “vis”, que tem como significado vigor, força. Essa define também a relação de força que visa submeter ou a constranger outrem. Após o século XII, a civilização ocidental lhe resguardou um lugar fundamental tanto para delatar seus excessos quanto para caracterizá-la como legítima.

Objetivo:Com esta pesquisa objetivou-se analisar o conceito de violência sob a ótica de Hannah Arendt, bem como, delimitar a natureza e as causas da violência e efetuar o cotejo entre a “banalização do mal” e o referido conceito.

Metodologia:Foi utilizado o método dialético.

Resultados:Assim, procede-se que a violência é uma irrefutável manifestação do poder no âmbito político. O conceito de violência se expressa por seu sentido de meio ou instrumental de coação, que compõem recursos disponíveis à ação exclusiva do soberano de certa autoridade, no exercício do poder. As ações violentas no âmbito político decorrem a partir de condições próprias do contexto, como a dissolução, quebra de autoridade ou transformações nas correntes relações de poder sempre que se constata a interrupção do diálogo e não se observa alternativas para os fins anteriormente almejados. A incapacidade de reflexão sobre a ação, proposta na obra “Eichmann em Jerusalém” com o termo “banalidade do mal”, é necessária para a manutenção da autoridade ilegítima. A incapacidade reflexiva resulta na transformação do indivíduo para agir de forma violenta. Visto que, mesmo com todo o aparato material violento, há necessidade de pessoas que as executem.

Conclusões:para compreender o fenômeno da violência no âmbito político, sob a ótica política de Hannah Arendt, é fundamental entender os conceitos de poder, vigor, força e autoridade, pois, são eles que dão a forma à violência como instrumento. A incapacidade reflexiva sobre a ação torna o ser humano uma peça articulada da violência para manter a autoridade ilegítima no poder, uma vez que, poder legítimo não faz uso da mesma.

Palavras-chave:Violência. Política. Poder.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador