Artigo

GERMINAÇÃO E REGENERAÇÃO IN VITRO DE ROSA DO DESERTO (ADENIUM OBESUM)

MALIKOSKY, Monique1; KOLLING, Caio Ericles3; ARBOLEYA, Isabela Aparecida3; CAETANO, Talita Ossucci3; CORREIA, Arlindo Fabricio3; CHAVES, Elisiane Ines Dall Oglio2;

Resumo

Introdução:Adenium obesum é popularmente conhecida como Rosa do Deserto, considerada uma espécie suculenta com traços escultural bastante utilizada no paisagismo.

Objetivo:O objetivo do trabalho foi avaliar diferentes concentrações de ácido giberélico (GA3) na germinação in vitro e diferentes concentrações de ácido naftaleno acético (ANA) e benzilaminopurina (BAP) na regeneração in vitro de Adenium obesum.

Metodologia:O experimento foi conduzido no laboratório de Biotecnologia da PUCPR Campus Toledo, as sementes foram obtidas de produtor local, as quais passaram por um processo de assepsia, onde foram imersas em álcool 70% durante 1 minuto, seguida da imersão em hipoclorito de sódio (2% de cloro ativo) por 10 minutos, posteriormente foi realizada a tríplice lavagem em água destilada e autoclavada. Após a assepsia as sementes foram inoculadas em frascos de vidro contendo 50 mL de meio de cultura MS, suplementado com diferentes concentrações de ácido giberélico (GA3): T1: sem adição de GA3; T2: 0,25 mg L-1 de GA3; T3: 0,5 mg L-1 de GA3; T4: 1,0 mg L-1 de GA3; T5: 1,5 mg L-1 de GA3 e T6: 2,0 mg L-1 de GA3. Os frascos foram acondicionados em sala de crescimento sob fotoperíodo de 12 horas de luz / 12 horas de escuro e com temperatura de 25 ± 2º C. O delineamento experimental foi inteiramente casualisado, com a inoculadas de 3 sementes por frasco sendo 5 frascos por tratamentos, totalizando 30 frascos. Após 7 dias de inoculação, foi iniciada a avaliação, quanto a porcentagem de germinação e de contaminação durante 8 semanas. As plântulas germinadas foram usadas para a segunda parte do experimento, onde foi cortada em várias partes e inoculados os explantes em meio de cultura MS nas concentrações de ANA e BAP respectivamente: T1: 0 e 0 mg L-1; T2: 0,5 e 0 mg L-1; T3: 1,0 e 0 mg L-1; T4; 0 e 1,0 mg L-1; T5: 0,5 e 1,0 mg L-1; T6: 1,0 e 1,0 mg L-1; T7: 0 e 2,0 mg L-1; T8: 0,5 e 2,0 mg L-1 e T9: 1,0 e 2,0 mg L-1, em delineamento experimental inteiramente casualisado, com a inoculação de 3 partes de explantes de folha e 3 parte do caule. As condições de acondicionamento foram as mesmas do experimento 1 e as avaliações ocorreram semanalmente quanto a porcentagem de formação de calo e de contaminação. A análise estatística para ambos os experimentos, foi a análise não paramétrica de Kruskal-Wallis, verificada pelo teste de Chi-quadrado.

Resultados:Pelos resultados analisados, verificou-se que na concentração 1,0 mg L-1 de GA3 houve o maior percentual de germinação (93%), a contaminação ocorreu em todos os tratamentos. A formação de calo ocorreu em todos os tratamentos empregando ANA e BAP, não diferindo estatisticamente entre eles.

Conclusões:Desta forma, conclui-se que a concentração 1,0 mg L-1 de GA3, promoveu o maior incremento na germinação de sementes de Adenium obesum e a adição de ANA e BAP no meio de cultura permite a formação de calo nessa cultura.

Palavras-chave:Ácido giberélico. Ácido naftaleno acético. Benzilaminopurina.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador