Artigo

EFEITO DA INOCULAÇÃO DE BACTÉRIAS PROMOTORAS DE CRESCIMENTO EM TRIGO IN VITRO

CAETANO, Talita Ossucci1; ELSING, Leanderson3; MALIKOSKY, Monique3; ARBOLEYA, Isabela Aparecida3; BRITO, Tauane Santos3; CORREIA, Arlindo Fabricio3; CHAVES, Elisiane Ines Dall Oglio2;

Resumo

Introdução:O trigo é um importante cereal para a alimentação humana, visto que é utilizado como matéria prima para a fabricação de diversos produtos. Na cultura, o nitrogênio é um macronutriente essencial e requerido em grandes quantidades pela planta, influenciando diretamente na produtividade dos grãos. Deste modo, a fim de atingir a demanda do nutriente pela planta o uso excessivo de fertilizantes químicos tem acarretado danos para o meio ambiente, uma vez que podem ser lixiviados para os rios com as chuvas e percolar pelo solo até os lençóis freáticos. Contudo, o uso de bactérias promotoras de crescimento tem sido eficaz, atuando como um método substitutivo para a adubação tradicional a base de ureia.

Objetivo:Nesse contexto, o trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da inoculação de bactérias promotoras de crescimento em diferentes genótipos de trigo in vitro, na presença e ausência de nitrogênio.

Metodologia:Foram utilizados os genótipos CD 120 e BRS Gralha Azul com a inoculação de Azospirillum brasiliensis, Herbaspirillum seropedicae e Burkholderia ambifaria, com 106 UFC por semente e mais a testemunha (controle – sem inoculação). As sementes inoculadas foram acondicionadas em tubos de ensaio contendo 25 mL de meio de cultura MS, com e sem nitrogênio (N), e 5 cm de bolinhas de polipropileno para suporte da planta, com 20 repetições cada. Sendo assim, os tratamentos de ambos os genótipos consistiram em: T1 - Controle sem N; T2 - Controle com N; T3 - Azospirillum brasiliensis sem N; T4 - Azospirillum brasiliensis com N; T5 - Herbaspirillum seropedicae sem N; T6 - Herbaspirillum seropedicae com N; T7 - Burkholderia ambifaria sem N e T8 - Burkholderia ambifaria com N. Após 7 dias foram avaliados peso (g) fresco e seco da parte aérea e da raiz, altura de plântula (cm) e comprimento da raiz (cm). Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Para a análise do teor de N (nitrogênio) foi realizada a análise não paramétrica de Kruskal-Wallis, verificada pelo teste de Chi-quadrado.

Resultados:Conforme os resultados obtidos as bactérias Burkholderia ambifaria e Herbaspirillum seropedicae melhor interagiram com o genótipo CD 120 e as bactérias Azospirillum brasilense e Herbaspirillum seropedicae interagiram de forma mais eficiente com o genótipo BRS Gralha Azul.

Conclusões:Desse modo, as estirpes estimularam o desenvolvimento inicial in vitro das plântulas, porém de forma semelhante na presença e ausência do nitrogênio em ambos os genótipos.

Palavras-chave:CD 120. BRS Gralha Azul. Azospirillum brasiliensis. Herbaspirillum seropedicae. Burkholderia ambifaria.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador