Artigo

CARACTERÍSTICAS DO PACIENTE E DO CÁLCULO RENAL QUE INTERFEREM NO RESULTADO DA NEFROLITOTRIPSIA EXTRACORPÓREA DE LITÍASES RENAIS LOCALIZADAS POR ULTRA-SONOGRAFIA

RICARDO, Patricia Caroline1; GREGORIO, Emerson Pereira2;

Resumo

Introdução:Urolitíase é um importante problema de saúde, pois, atualmente, sua prevalência gira em torno de 15%. Apesar da elevada acurácia da tomografia computadorizada (TC) para diagnóstico dos cálculos urinários, atualmente, a maioria dos cálculos renais são diagnosticados através da ultrassonografia (USG), e nos litotripsores modernos, que dispõe de USG acoplado, a maioria dos procedimentos de nefrolitotripsia extracorpórea por ondas de choque (LECO), principalmente para cálculos renais menores e radiotransparentes, são indicados baseados em um simples exame de USG e a localização do cálculo durante o procedimento é realizada por USG. Existem vários fatores, relacionados ao paciente e ao cálculo renal que podem interferir no resultado da LECO, porém, alguns destes fatores, não são possíveis de serem avaliados por USG.

Objetivo:O objetivo deste trabalho foi avaliar os fatores preditivos relacionados ao paciente e ao cálculo renal, possíveis de serem avaliados por USG, que interferem no resultado da LECO de cálculos renais diagnosticados e localizados por ultrassonografia (USG).

Metodologia:Foi realizado estudo transversal com 640 procedimentos, em todos os casos os cálculos foram diagnosticados e localizados durante a LECO por USG. Os fatores preditivos avaliados foram: tamanho (em cm); sexo; idade; índice de massa corpórea (IMC); lado do rim tratado e localização do cálculo. Os pacientes foram submetidos a USG de controle entre 20 e 90 dias pós procedimento e foi considerado sucesso a fragmentação completa ou parcial com fragmentos residuais menores que 0,5 cm.

Resultados:Após a LECO, a taxa global de sucesso apresentada no estudo foi de 81,4%. Em análise univariada e multivariada somente o tamanho do cálculo renal influenciou o resultado da LECO. As outras variáveis analisadas não demonstraram associação com o sucesso da terapia.

Conclusões:Quanto maior o tamanho do cálculo renal menor a taxa de sucesso da LECO. Ressalta-se também, a importância do USG como método diagnóstico e de localização do cálculo durante o procedimento.

Palavras-chave:Litotripsia por onda de choque extracorpórea. Nefrolitíase. Ultrassonografia. Litíase. rim.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador