Artigo

DOENÇAS PULMONARES E EXPOSIÇÃO À PARTÍCULA DE DIÓXIDO DE NITROGÊNIO: UMA ANÁLISE EM UMA UBS NA CIDADE DE ARAUCÁRIA, PR

MARQUES, Felipe Depetriz1; SOUZA, Fabio Teodoro De2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa aborda o tema de doenças pulmonares e poluição atmosférica do ar, mais especificamente do ozônio (O3). Os dados de parâmetros de qualidade do ar e de algumas doenças foram organizados em uma tabela, com as informações do período de 2011 até 2015. Uma análise quantitativa foi realizada para identificar os padrões de associação entre poluentes e as internações hospitalares (morbidade), as faixas etárias afetadas pelas doenças, os locais com maior índice de poluição, e validade do fenômeno.

Objetivo:Esse trabalho visa como objetivo apresentar os dados dos poluentes, adquiridos pelas centrais de monitoramento do ar, fornecido pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), dessa maneira analisar as concentrações médias presentes em diferentes regiões. Pesquisar quantos casos com morbidades de doenças respiratórias, de diferentes faixas etárias da população, todos fornecidos pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). E fornecer uma relação entre as doenças e os poluentes, através do cruzamento das informações com os dados climáticos de temperatura e umidade.

Metodologia:Foram analisados os dados entre maio de 2011 até dezembro de 2015, adquiridos em 10 regiões diferentes, sendo elas: Araucária-Assis, Araucária-CSN, Araucária-REPAR, Araucária-UEG, Curitiba-Santa Cândida, Curitiba-Santa Casa, Curitiba-CIC, Curitiba-Boqueirão, Curitiba-Ouvidor Pardinho e Colombo. Além dessas informações, foram pesquisados os dados meteorológicos das regiões, temperatura média, máxima, mínima e umidade media, adquiridos pelo Instituto de Nacional de Meteorologia (INMET), para determinar alguma influência climática sobre a emissão dos poluentes. Só foi possível encontrar esses valores para a cidade Curitiba, mas não foram encontrados para Araucária e Colombo.15 Para os dados de doenças respiratórias de DCPO, foram analisadas as quantidades de casos mensais, de 2011 a 2015, de pacientes com bronquite aguda, bronquiolite aguda, enfisema, outras doenças pulmonares de obstrução crônica e asma, das cidades de Curitiba, Araucária e Colombo. Para um resultado mais conclusivo, também foi avaliado a faixa etária dos pacientes

Resultados:Os estudos realizados obtiveram resultados sobre o índice de poluentes, os locais com maior concentração, os elementos mais presentes no ar e a variação dos poluentes a cada ano. Também foram adquiridas informações sobre os casos de doenças respiratórias, a morbidade causada pelas diferentes doenças e as regiões com maior ocorrência desses casos

Conclusões:Os estudos definem que a maioria dos poluentes, exceto o ozônio (O3), tem uma maior emissão durante o inverno, com baixas temperaturas e pouca umidade, porque nessa época o ar fica mais frio e pesado, o que diminui a circulação do ar, isso impede a dissipação dos poluentes. Os casos de morbidade também são maiores no frio, durante o inverno, a relação estudada define que esse ambiente auxilia para no aumento das doenças respiratórias.

Palavras-chave:Ozônio. Doenças Respiratórias. Poluição do Ar.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador