Artigo

A FILOSOFIA DA NATUREZA EM SCHELLING

ORMIANIN, Gabriel Franco1; FERRAGUTO, Federico2;

Resumo

Introdução:O presente relatório consiste na investigação sobre o pensamento do filósofo alemão Fridrich Wilhelm Joseph von Schelling, considerado participante do movimento do idealismo alemão e também do romantismo alemão. Embora o filósofo trate de vários temas no decorrer de sua carreira, a pesquisa presente voltou-se sobre o período da juventude do filósofo, quando este tratou fundamentalmente de questões oriundas das críticas kantianas e filósofos que desenvolveram elementos concernentes a essas críticas, quer defendendo ou criticando.

Objetivo:O projeto visa expor e problematizar a relação crítica de Schelling para com as implicações da doutrina da ciência de Fichte que indicam os princípios de uma filosofia da natureza.

Metodologia:A pesquisa teve ínicio com a delimitação do tema, sendo este o problema de conceituar a natureza, área essa que Schelling trabalhou de forma diferente dos filósofos anteriores a ele no período em questão. O autor trata do tema em diversas obras, visto que escreveu muitos textos no decorrer de sua carreira, que, mesmo podendo conter diferentes temáticas, apresentam pontos importantes para o problema delimitado aqui. Entre as obras utilizadas, as mais importantes são os textos Philosophische Briefe über Dogmatismus und Kritizismus (Cartas filosóficas sobre Dogmatismo e Criticismo), Ideen zur einer Philosophie der Natur (Ideias para uma filosofia da natureza) e System des transzendentalen Idealismus (Sistema do Idealismo Transcendental).

Resultados:A partir da exposição de um breve panorama do que foi o criticismo kantiano e suas repercussões para a filosofia daquela época, assim como a elucidação da posição fichteana acerca da problemática da natureza, foi possível notar que Schelling inicia a sua carreira filosófica sob a sombra do idealismo de Fichte. Entretanto é precisamente na questão da natureza que se pode notar o distanciamento mais claro do pensamento schellingueano do idealismo fichteano, pois enquanto este aponta a natureza como resistência a um Eu, de forma meramente negativa, aquele atribui valor à natureza como uma entidade dotada de atividade própria.

Conclusões:Por fim, o que se conclui é que Schelling apresenta a temática da natureza (que até então vinha sendo considerada negativamente ou com aspectos de mero mecanismo), com certa originalidade, que remete a seu interesse por ciências naturais e também um retorno ao pensamento de Spinoza.

Palavras-chave:Schelling. Naturphilosophie. Filosofia transcendental. Idealismo alemão.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador