Artigo

A GÊNESE DO PROBLEMA DA IMAGINAÇÃO NA DOUTRINA-DA-CIÊNCIA (1794) DE FICHTE

SILVA, Carlos Tiago da1; FERRAGUTO, Federico2;

Resumo

Introdução:A presente pesquisa interessou-se em acompanhar o desenvolvimento histórico das discussões sobre a faculdade da imaginação no contexto situado após a publicação da primeira edição da Crítica da Razão Pura (1781), de Kant, culminando na Doutrina-da-Ciência de 1794, de Fichte. Para tanto, levaremos em consideração o tratamento dado ao tema por três filósofos distintos: Kant, Maimon e Fichte. Iremos nos ocupar tanto dos aspectos conceituais que nos permitirão identificar a definição, função e atividade da faculdade de imaginação no contexto da discussão como, também, da determinação do contexto problemático no qual tal discussão se enquadra, isto é, o problema da relação entre elementos sensíveis e intelectuais da constituição própria do ser humano na relação de conhecimento.

Objetivo:constituíram duas ordens distintas: conceitual e problemática. A correta compreensão da definição, função e atividades da imaginação no tratamento do tema e a determinação do contexto problemático ao qual o tema reenvia: a relação entre elementos heterogêneos na constituição da relação de conhecimento humana.

Metodologia:desenvolvida de modo exploratório-monográfico, a pesquisa sustentou-se pela análise da bibliografia selecionada.

Resultados:a transição da compreensão da imaginação como uma faculdade ligada à sensibilidade e com um papel de mediação na relação entre os elementos constitutivos do conhecimento (Kant), passando pelas críticas de Maimon ao problema da heterogeneidade das faculdades, no modo como esta foi pensada por Kant, até a identificação, por Fichte, da imaginação como a raiz comum das faculdades da razão, dado que o leva a concedê-la um papel fundamental e originário imprevisto.

Conclusões:a correta compreensão do problema, em nível conceitual e problemático, possibilitou esclarecer os termos de uma discussão que apresentou, de maneira coerente e explicativa, as principais razões que permitiram a Fichte atribuir à imaginação um papel central na Doutrina-da-Ciência de 1794.

Palavras-chave:Kant. Maimon. Fichte. Imaginação.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador