Artigo

MCDOWELL E KANT: A RELAÇÃO DO EU COM O MUNDO SENSÍVEL

FANAYA, Maria Clara Fonseca1; FERRAGUTO, Federico2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa pretendeu aprofundar, além dos aspectos a respeito do sujeito cognoscente na filosofia kantiana, a sua influência na concepção de John McDowell acerca do mesmo problema. McDowell é um autor contemporâneo de grande influência na filosofia da mente e na filosofia da linguagem, cuja consideração a respeito da intuição, como forma de experiência sensível ou empírica sobre o pensamento e possibilidade de conhecimento, teve influência de pensadores desde Kant a filósofos contemporâneos como P. F. Strawson e Wilfrid Sellars.

Objetivo:Os objetivos deste projeto foram os de investigar e caracterizar o papel da filosofia transcendental de Kant no pensamento de John McDowell acerca do mundo e o pensamento, especialmente em relação a questão do sujeito do conhecimento (eu).

Metodologia:Foram realizadas a coleta e a revisão da literatura pertinente à essa pesquisa, assim como o estudo da obra Crítica da Razão Pura. Em seguida, foram iniciados o estudo e a contextualização da filosofia da mente, a partir de obras como Empiricism and the Philosophy of Mind, de Wilfrid Sellars e sobre a filosofia da mente presente na obra kantiana, assim como a sua influência nessa área de estudo na contemporaneidade, em textos como The Bounds of Sense, de P.F Strawson, Kant and the Mind, de Andrew Brook e Kant’s Thinker, de Patricia Kitcher. Além disso, foi realizada a leitura da obra de McDowell Mente e Mundo, assim como artigos importantes de críticas à perspectiva desse autor, como Non-Inferential Knowledge, Perceptual Experience, and Secondary Qualities: placing McDowell’s empiricism, de Robert Brandom e Human Nature?, de Crispin Wright. Por último, foi pesquisada a profundidade da influência kantiana em McDowell a partir das leituras realizadas até o momento e de literaturas sobre o assunto.

Resultados:o resultado dessa pesquisa, cujo caráter é teórico-explanatório, foi a elucidação de um dos principais aspectos da filosofia kantiana, qual seja, a consciência de si, aspecto que fora deixado em segundo plano no estudo do edifício kantiano, mas que tem sido trazido de volta à discussão com a ascensão da filosofia da linguagem e da mente por filósofos como Wilfrid Sellars e P. F. Strawson. Nesse sentido, foi apresentada a forma como McDowell acredita que Kant deveria ocupar lugar de destaque na discussão sobre o modo como o pensamento está ligado à realidade.

Conclusões:Ao final desta pesquisa pode-se perceber que é a partir da máxima kantiana “Pensamentos sem conteúdo são vazios, intuições sem conceitos são cegas.” (A51/B75) que McDowell rejeita a ideia de que o conteúdo da experiência é desprovido de conceitualidade, isto é, ele quer encontrar um modo de demonstrar que o mundo exerce um papel normativo sobre o conteúdo de nossos pensamentos.

Palavras-chave:sujeito cognoscente. Pensamento. Mundo. Intuição. Conceitualidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador