Artigo

O CHAMADO "PROBLEMA DIFÍCIL" DA CONSCIÊNCIA E UMA POSSÍVEL RESPOSTA A PARTIR DA CONCEPÇÃO MERLEAU-PONTYANA DE CONSCIÊNCIA

SANTOS, Lais Vitoria Schlosser dos1; SCHEER, Fernanda Pires Bertuol Mateus2;

Resumo

Introdução:A filosofia cartesiana concebe o homem a partir de duas substâncias: a res extensa que se refere aos corpos físicos; e a res cogitans, que se refere ao pensamento puro, à alma. Essa visão é legada à atual discussão interdisciplinar das Ciências Cognitivas, a qual tende a conceber os estados cerebrais como físicos e os estados mentais, enquanto caracterizados qualitativamente e considerados privados ao indivíduo, podendo ser acessados somente por introspecção, ou seja, pela perspectiva da primeira pessoa. Já, os estados cerebrais, são acessados pela perspectiva da terceira pessoa, a qual é utilizada pela ciência. Dessa forma, estas duas perspectivas do homem formam uma lacuna. A possibilidade de expressar verbalmente os conteúdos privados, subjetivos a outro sujeito, denota o problema difícil da consciência. Tal problema remonta ao legado da tradição filosófica cartesiana que separou sujeito e objeto. Neste sentido, a proposta desta pesquisa é analisar uma possível solução a esse problema, a partir da concepção de consciência do filósofo Maurice Merleau-Ponty.

Objetivo:Para tanto buscamos: (a) compreender o problema da lacuna explicativa, o problema difícil da consciência e o problema dos qualia; (b) identificar as principais propostas de enfrentamento desses problemas e suas limitações; (c) compreender o projeto de naturalização da fenomenologia; (d) analisar como a concepção merleau-pontyana de consciência poderia ser uma resposta ao problema difícil da consciência.

Metodologia:Para a realização da pesquisa foi necessária uma pesquisa fundamentada na literatura de artigos de comentadores e obras do filósofo, sobretudo a Fenomenologia da Percepção. Esse material foi previamente selecionado e sua leitura acompanhada de fichamentos. A pesquisa também contou com a contribuição da participação no grupo de estudos sobre filosofia da mente e fenomenologia.

Resultados:O difícil problema da consciência encontra uma alternativa na filosofia merleau-pontyana, com a integração sujeito-objeto, os quais deixam de constituir polos extremos na existência humana. Assim, para Merleau-Ponty, a consciência não é pensada na lógica reducionista, incorrendo-se no solipsismo, mas como abarcando o mundo vivido.

Conclusões:O conceito de cogito da perspectiva atomista, compreendido como separado da vivência corpórea, é reformulando enquanto cogito tácito, um cogito que contempla a experiência vivida, sendo a consciência concebida a partir da integralidade do sujeito em sua existência.

Palavras-chave:Ciências Cognitivas. Consciência. Problema difícil. Merleau-Ponty. Cogito.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador