Artigo

DISFUNÇÃO SEXUAL EM MULHERES ADULTAS PERTENCENTES AO BAIRRO PORTÃO DA CIDADE DE CURITIBA, PR

SILVA, Lara Regina1; MEYER, Fernando2;

Resumo

Introdução:A disfunção sexual feminina (DSF) é uma afecção comum e que gera sofrimento físico, psicológico e não raramente um constrangimento para com o médico ao tratar de sintomas de intimidade pessoal

Objetivo:Esta pesquisa teve como objetivo aprimorar o conhecimento sobre a prevalência de DSF na população brasileira, além de identificar possíveis determinantes desse quadro.

Metodologia:Trata-se de um estudo de caráter quantitativo analítico descritivo transversal, em uma população de 182 mulheres maiores de 40 anos que frequentam o ambulatório acadêmico de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná em Curitiba, tendo como base o questionário Female Sexual Function Index (FSFI-score) validado para o português que analisa seis domínios: desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, satisfação e dor. Análises bivariada e multivariada foram utilizadas para estudar a associação entre a DSF e seus possíveis determinantes, empregando-se a razão de prevalência. O intervalo de confiança foi fixado em 95%.

Resultados:A amostra foi composta por 92 mulheres com atividade sexual recente e 77 mulheres sem. A prevalência de DSF foi estimada em 30,43%, valor condizente ao encontrao na literatura. A média de idade dessa população foi de 53 anos (±6,3), 75% era casada, 75% e etnia branca, 42,9% tinha ensino fundamental incompleto e 50% era de classe social D. A menopausa era comum à 57,1% das mulheres e a média de idade do inicio da mesma se deu aos 47 anos (±5,5). Foi encontrada associação significativa no número de filhos (p=0,044) e no número de cesáreas realizadas (p=0,05), que resultaram em um acréscimo na prevalência de disfunção sexual em 39% e 32% respectivamente. Na análise dos domínios, 35,71% tinha alteração do desejo, 17,85% da lubrificação, 10,71% da excitação, 7,14% da satisfação e 3,57% do orgasmo. As participantes sem atividade sexual recente representaram 42,3% da amostra e apresentaram uma média de idade de 58 anos (±8,8), a maioria era viúva (28,6%), 68,8% de etnia branca, 44,1% tinha ensino fundamental incompleto e 68,8% era de classe social E, mulheres pós-menopausa compunham 87,5% da amostra e a média de idade de inicio foi de 47 anos (±5,3).

Conclusões:A DSF é uma realidade recorrente na amostra estudada assim como o número de mulheres sexualmente inativas. Entendemos por necessárias pesquisas futuras sobre o assunto

Palavras-chave:Disfunção sexual. Mulheres. Sofrimento físico e psicológico.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador