Artigo

FUNÇÃO E IMPORTÂNCIA DO OBJETO TRANSICIONAL NA FORMAÇÃO DO SELF

WILL, Walkyria Busato1; SOARES, Flavia Maria De Paula2;

Resumo

Introdução:O self emerge da relação entre a tendência inata à integração e o ambiente facilitador através da realização, em fases, de tarefas do amadurecimento pessoal da criança. A correlação entre o objeto transicional e a formação do self será aqui compreendida a partir da perspectiva da tarefa da construção da realidade externa. O self é a personalidade que tende, sob condições favoráveis, a se integrar numa unidade.

Objetivo:Esta pesquisa tem como objetivo geral estudar a função e importância do objeto transicional na formação do self do indivíduo, a partir da perspectiva da constituição da realidade externa no psiquismo da criança conforme a teoria de amadurecimento pessoal de Donald W. Winnicott.

Metodologia:Foi feita uma pesquisa bibliográfica da obra de Winnicott, e de autores winnicottianos atuais sobre o tema e, posteriormente, a correlação qualitativa entre os conceitos e noções da teoria do amadurecimento pessoal. Os conceitos fundamentais da teoria de Winnicott necessários para a realização desse estudo foram: a teoria do amadurecimento pessoal de Winnicott, a tendência inata à integração, as três tarefas do amadurecimento pessoal, o objeto transicional e o self.

Resultados:Com o desenvolver do trabalho, pôde-se entender que a formação do self da criança depende da criação do mundo inicialmente “pelo olhar da criança”, pela constituição do objeto subjetivo, e posteriormente pela construção da realidade externa. Essa criação só é possível se o ambiente facilitador – a mãe suficientemente boa – oferecer as condições necessárias para tal. O objeto transicional é, nesse processo, um objeto escolhido pela criança (uma boneca, um paninho, etc.) que faz a intermediação entre o ambiente interno e externo – realidade subjetiva e objetiva – da criança. Ele depende da capacidade da mãe em apresentar o mundo de forma que o bebê, inicialmente, acredite que o objeto, a realidade externa a ele tenha sido por ele criada, até que o bebê consiga compreender que não é ele quem cria os objetos, a realidade, apresentados pela mãe, mas que esses objetos e realidade já existem. É durante essa transição, mediada pelo objeto transicional, da realidade subjetiva para uma realidade objetiva que o self se forma.

Conclusões:Como o self é a referência de si mesmo do indivíduo, e o que possibilita que o indivíduo se sinta vivo, criativo e espontâneo, no decorrer da vida ele amadurece, em fases cada vez mais elaboradas, mas dependentes da fase anterior, até a morte. A formação do self então, para Winnicott, é o fundamento para a referência de personalidade do indivíduo, que deve ser constituída de forma saudável, para organizar o seu desenvolvimento posterior. Verificou-se que a constituição do self é complexa e dependente de diversos fatores que interrelacionam-se entre si.

Palavras-chave:Winnicott; self. Objeto transicional. Ambiente facilitador. Constituição da realidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador