Artigo

DISTRIBUIÇÃO E DIETA DE DUAS ESPÉCIES DE PEIXES CONGÊNERES NO RESERVATÓRIO DE SALTO SANTIAGO, PR

GODOI, Karen Teixeira de1; SILVA, Geuza Cantanhede Da2;

Resumo

Introdução:Estudos envolvendo a partilha de recursos entre espécies que coexistem tem sido apontado como um dos processos responsáveis pela estruturação de populações e, consequentemente, comunidades. Porém, quando duas espécies que co-ocorrem não diferem morfologicamente e os recursos consumidos por elas, possivelmente, são similares, há maior chance de ocorrer competição interespecífica.

Objetivo:Dessa forma, este estudo teve como objetivo avaliar a distribuição e partilha de recursos das espécies congêneres Pimelodus britskii e Pimelodus ortmanni que co-ocorrem no reservatório de Salto Santiago, no rio Iguaçu, Paraná.

Metodologia:Amostragens foram realizadas bimestralmente entre os anos de 2007 a 2014, em quatro locais de coleta, utilizando diferentes aparelhos de pesca. A distribuição espacial foi avaliada pela abundância (CPUE) ao longo dos anos, nos locais de amostragem e nos estratos no corpo aquático. A atividade diária foi inferida a partir da abundância (CPUE) e do grau de repleção médio (GRm) ao longo dos turnos de amostragem. Para análise da dieta, o conteúdo estomacal foi identificado e os itens alimentares quantificados pelos métodos de frequência de ocorrência e volumétrico, e posteriormente conjugados no Índice Alimentar (IAi). Além disso, foi avaliada a amplitude de nicho trófico e o índice de sobreposição (método de Schoener).

Resultados:Pimelodus britskii e P. ortmanni diferiram na abundância, sendo 3.885 indivíduos para o primeiro e 361 para o segundo. As espécies se distribuíram por todos os locais de amostragem, porém P. britskii ocorreu em maior abundância em Barragem e Cavernoso e P. ortmanni em Porto Santana. As espécies se distribuíram preferencialmente no estrato do fundo. A atividade diária delas ocorreu predominantemente em períodos crepusculares; P. britskii concentrou sua atividade no turno noturno/matutino e vespertino/noturno, e P. ortmanni no vespertino/noturno. Mesmo demonstrando preferências particulares em relação à distribuição, elas sempre estiveram coexistindo no espaço e ao longo do tempo. Em relação à alimentação, houve diferença significativa na dieta das espécies e itens indicadores dessa diferença foram evidenciados: vegetal para P. britskii e bivalves, escamas de peixe, odonatas e tricoptéros para P. ortmanni. Apesar disso, observou-se que as espécies utilizaram basicamente os mesmos recursos alimentares, diferindo em relação a sua proporção em que foram consumidos.

Conclusões:Essa segregação do nicho trófico pode se acentuar e futuramente evitar interações competitivas intensas e consequente eliminação de P. ortmani do reservatório.

Palavras-chave:coocorrência. partilha de recursos. competição. Pimelodus.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador