Artigo

COLORAÇÃO RÁPIDA DE PROTEÍNAS: A ALQUIMIA EMBASADA PELA BIOLOGIA MOLECULAR

KLINGENFUS, Andressa de Souza1; WISCHRAL, Luccas Matheus3; KOCZICKI, Leticia3; MARTINS, Laysa Toschi3; FRIGERI, Henrique Ravanhol2;

Resumo

Introdução:A técnica de eletroforese é regularmente usada em laboratórios – a maioria dos trabalhos e estudos que envolvem biologia molecular baseia-se, direta ou indiretamente, nesse processo -, sendo utilizada para separar e caracterizar vários tipos de biomoléculas carregadas positivamente ou negativamente (DNA, RNA, proteínas) de acordo com seu tamanho. Depois da eletroforese, é necessária a coloração seguida pela descoloração do gel de eletroforese (no nosso projeto foi usado o de agarose), permitindo, assim, a visualização das moléculas separadas (na forma de bandas que foram formadas pela eletroforese). Para proteínas em geral, é usualmente utilizado o corante Coomassie Brilliant Blue, mas os protocolos que são usados para ele incluem uma solução descorante - para a identificação das bandas -, e todo esse processo mantém-se por um dia ou até mais.

Objetivo:O objetivo desse projeto foi de achar uma combinação de reagentes de modo que pudesse diminuir o processo de coloração e descoloração, de modo a ser mais acessível possível.

Metodologia:Para isso, todas as condições eletroforéticas e de descoloração foram mantidas fixas e foram feitos vários ensaios prévios testando a necessidade dos compostos contidos em protocolos anteriores – os compostos finais foram o etanol, a água destilada e o corante Coomassie Brilliant Blue R-250, e foram retirados o ácido fosfórico e metanol, ambos contidos no protocolo original -, e, com esse resultado, foram testadas duas variáveis: a concentração do corante Coomassie Brilliant Blue R-250 e a concentração de etanol. O que resultou em um total de nove condições diferentes a serem testadas. Os resultados obtidos foram avaliados por oito examinadores externos a esse projeto que compararam todas as condições por um “gel referência” (gel feito de acordo com o protocolo original).

Resultados:Foi possível a substituição de um composto tóxico por um não-tóxico e a eliminação de um composto, o que gerou uma redução nos custos da formulação do reagente de coloração. Além disso, das nove condições avaliadas, três foram escolhidas como mais satisfatórias pelos examinadores, tendo a primeira condição com 100% de aprovação por eles. Também, o tempo final de coloração e descoloração foi de 25 minutos, diminuindo em até 98% do tempo em que esse processo é usualmente feito.

Conclusões:A formulação do reagente de coloração se mostrou, então, satisfatória de se observar, preliminarmente, proteínas em gel de agarose, o que possibilita a sua utilização para a substituição de protocolos demorados com custos elevados.

Palavras-chave:Fórmula para coloração de proteínas. Coomassie Brilliant Blue R-250. Eletroforese. Gel de agarose.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador