Artigo

ELABORAÇÃO DE FITOTERÁPICO A PARTIR DE EXTRATO DE FOLHAS DE EUGENIA INVOLUCRATA

MEDEIROS, Tatiane Moreira de1; SATO, Tatiane Satie3; HOSCHEID, Jaqueline3; PROCHNAU, Inara Staub2;

Resumo

Introdução:Conhecida popularmente como cerejeira-do-mato ou cerejeira-do-rio-grande, a espécie Eugenia involucrata pode ser destacada por apresentar um elevado potencial econômico. A eficiência de produtos naturais e sintéticos pode ser igualada, quando durante o seu desenvolvimento seja conservada a integridade química e farmacológica da planta, garantindo sua ação biológica.

Objetivo:Objetivou-se desenvolver emulsões contendo extrato otimizado das folhas de Eugenia involucrata, elaborado em estudo paralelo que testou a atividade do extrato frente a microrganismos como fungos e bactérias.

Metodologia:A coleta foi realizada no mês de maio de 2016, no município de Toledo, mais precisamente no Parque das Aves (S 24°43'34.529", W 24°44'41.189). Uma exsicata foi depositada no Herbário da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba. Os procedimentos realizados, incluíram a elaboração de emulsões com caráter O/A, onde aplicou-se o método de inversão da fase aquosa em fase oleosa. Os extratos foram incorporados as emulsões base em concentrações de 0,5, 1,0, 1,5 e 2,0%.

Resultados:Foram realizados testes que avaliaram as caraterísticas físico-químicas das emulsões preparadas como: aspectos macroscópicos, pH, medidas de tamanho de gotícula e índice de polidispersão (PDI). Os ensaios microbiológicos realizados empregando cepas da bactéria Staphylococcus aureus e do fungo Candida albicans, objetivaram avaliar a atividade do extrato em um sistema emulsionado. Os resultados encontrados referentes ao tamanho das partículas se encontraram entre 2000 e 4000 nm, caracterizando as preparações com microemulsões. A polidispersão do sistema indicou heterogeneidade na distribuição das partículas, uma vez que a quantidade de extrato incorporado as formulações interferiram no índice de polidispersão do tamanho das partículas. O ensaio microbiológico, obteve como resultado a inatividade do extrato contra a bactéria Staphylococcus aureus, porém, a levedura se mostrou sensível às formulações, principalmente aquelas com um sistema de polidispersão mais homogêneo.

Conclusões:O extrato, portanto, indicou uma possível atividade antifúngica contra o microrganismo Candida albicans, mas, a formulação proposta não foi favorável ao desenvolvimento de um sistema emulsionado. Sendo necessárias novas pesquisas com substâncias isoladas, estabelecendo a presença de constituintes químicos que expressem a real atividade da planta.

Palavras-chave:Fitocosmético. Plantas medicinais. Cerejeira-do-mato.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador