Artigo

PERFIL DE RESILIÊNCIA EM USUÁRIOS DE CRACK

MALACARNE, Ingra Tais1; BATISTA, Thiago Beltrami Dias3; MARTINI, Milena Binhame Albini3; CHAIBEM, Cassiano Lima3; SOUZA, Cleber Machado De3; AZEVEDO-ALANIS, Luciana Reis3; HENN, Indiara Welter2;

Resumo

Introdução:O Brasil é uma das nac?o?es onde o consumo de crack esta? aumentando, enquanto nos outros pai?ses esta? diminuindo. A qualidade e o estilo de vida adotados pelos usuários de crack parecem definir a condição de saúde bucal, pois o consumo abusivo de drogas é considerado fator de risco para as doenças bucais em populações de todo o mundo.

Objetivo:O objetivo do estudo foi identificar o perfil sócio-demográfico e o perfil de resiliência de usuários de crack.

Metodologia:Foram avaliados 123 homens, 64 dependentes de crack e 59 não dependentes de crack, provenientes de clínicas de reabilitação de Curitiba e região metropolitana. Os participantes responderam um questionário sobre histórico médico e odontológico, perfil de resiliência e dados sobre consumo de álcool, tabaco e crack.

Resultados:A média de idade dos grupos de dependentes de crack e não dependentes de crack foi 34± 9,2 e 35± 9,6 anos, respectivamente. A maioria dos entrevistados de ambos os grupos eram leucodermas e solteiros. Entre os dependentes de crack, 57 (89,1%) eram tabagistas e 56 (87,5%) eram etilistas; entre os não dependentes, 56 (94,9%) fumavam e 51 (86,4%) bebiam, sendo a maioria fumantes severos e etilistas pesados em ambos os grupos. Nos dependentes de crack, o tempo médio de consumo de crack foi 15±7,7 anos e a quantidade média de 27±42,1 pedras/semana. O valor médio do perfil de resiliência para os dependentes de crack e não dependentes de crack foi 90,8±15,2 e 93,3±13,9, respectivamente (p>0,05).

Conclusões:Os usuários dependentes e não dependentes de crack apresentaram semelhantes perfis sócio-demográfico e de resiliência.

Palavras-chave:Cocaína Crack. Perfil de saúde. Hábitos.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador