Artigo

QUALIDADE EM NUTRIÇÃO ENTERAL: CONSTRUÇÃO DE INDICADORES ESPECÍFICOS

MARQUES, Camila De Almeida1; MORIMOTO, Ivone Mayumi Ikeda2;

Resumo

Introdução:Para melhorar o serviço em terapia nutricional enteral no ambiente hospitalar e assegurar o completo recebimento da dieta ao paciente é necessário buscar a qualidade total diminuindo os eventos adversos e as falhas na prestação do serviço.

Objetivo:determinar indicadores de qualidade em terapia nutricional enteral com base nos grandes teóricos da qualidade total. Determinar indicadores de qualidade em terapia nutricional enteral com base nos grandes teóricos da qualidade total.

Metodologia:Este estudo transversal e quantitativo, realizado no serviço de clínica hospitalar de um hospital universitário da cidade de Curitiba, PR, iniciou-se com a revisão bibliográfica sobre os teóricos da qualidade total, selecionando-se o conceito de qualidade in line de Paladini(1997), o diagrama de causa e efeito de Ishikawa(1993) e a alça de feedback de Juran(1998). Estes conceitos foram aplicados para determinação do indicador de qualidade.

Resultados:Com base em referencial teórico, foi determinado como qualidade total em nutrição enteral, o recebimento pelo paciente da prescrição dietética completa, entendida como a totalidade de suas necessidades nutricionais supridas (calórica, de macronutrientes, micronutrientes e líquidos) segundo seu estado clínico. Como os eventos adversos são os principais fatores que interferem no alcance da prescrição dietética completa, estabeleceu-se como indicador de qualidade a frequência destas intercorrências. Na especificação do indicador foi estabelecida periodicidade mensal e meta de até 20% de frequência. Para visualização de causas dos eventos adversos foi utilizado o diagrama de Ishikawa e para proporcionar qualidade in line preconizado por Paladini, procedeu-se à elaboração de protocolo de atuação nos eventos adversos mais frequentes. A alça de feedback de Juran foi utilizada para determinação de ações nas situações de não conformidade. Elaborado o protocolo, a uniformidade de ações dos nutricionistas na sua aplicação foi avaliada após 30 dias de sua implementação. Observou-se que as condutas estão em conformidade assim, pode-se afirmar que as medidas adotadas conseguiram atingir o padrão de excelência no quesito processos. Com esta padronização de ações, pode-se determinar a periodicidade da coleta de dados de eventos adversos e formas de cálculo comparativo

Conclusões:Este estudo determinou a metodologia de elaboração de um indicador de qualidade em nutrição enteral utilizando os grandes teóricos da qualidade total. Houve dificuldade de determinação do valor da meta no detalhamento do indicador pois o “zero defeito” em doença não é possível. Embora todos os profissionais atuem com o máximo de adequação, ainda assim, pode haver evolução negativa, do paciente, portanto, optou-se por “aceitar” certo percentual de ocorrência de erros ou, neste caso, de eventos adversos. Sugere-se a utilização desta metodologia para determinação de indicadores de qualidade em terapia nutricional.

Palavras-chave:Terapia nutricional enteral. Eventos adversos. Protocolo. Indicadores de qualidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador