Artigo

EVENTOS ADVERSOS EM TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL: QUAIS OS PROCEDIMENTOS REALIZADOS PARA A RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS?

SILVA, Renata Juk da1; MORIMOTO, Ivone Mayumi Ikeda2;

Resumo

Introdução:Nas situações de doença, em que o paciente não pode, não quer ou não deve ingerir alimentos pela via oral é recomendada a nutrição enteral por sonda. Complicações relacionadas à terapia nutricional enteral podem impedir que a nutrição adequada possa auxiliar na recuperação do paciente.

Objetivo:Verificar tipo e frequência de eventos adversos entre adultos, idosos e muito idosos hospitalizados, em terapia nutricional enteral (TNE) e analisar formas de resolução dos problemas pela equipe multidisciplinar.

Metodologia:O estudo iniciou-se com a revisão bibliográfica sobre as principais complicações em TNE, seguido de coleta de dados dos prontuários para verificar perfil e complicações frequentes em pacientes em nutrição enteral de um hospital geral da cidade de Curitiba-PR. Com os eventos adversos verificados, elaborou-se o plano de treinamento no sentido de evitar estas intercorrências. Após sua realização, houve nova coleta de dados dos prontuários (6 meses antes e 1 mês após) para comparação da frequência e tipo de complicações. Os dados foram tabulados em planilha do programa Microsoft Office Excel 2010® e a análise estatística dos mesmos foi realizada por meio do programa estatístico IBM SPSS Statistics (versão 2.0)®.Foram utilizados os testes qui-quadrado para variáveis qualitativas e Mann Whitney para correlação entre grupos e variáveis quantitativas devido a não normalidade das variáveis, verificadas pelo método Kolmogorov- Smirnov, adotando-se o nível de significância de 5% (p < 0,05). Os dados foram apresentados como médias ou medianas (variação).

Resultados:Eventos adversos de maior prevalência foram: saída não programada da sonda, diarreia, alto volume residual gástrico e vômitos. O perfil de pacientes em nutrição enteral do hospital demonstrou distribuição semelhante entre idosos e adultos, com predominância de pacientes internados para tratamento clínico, em cardiologia, com uso de sonda nasoenteral devido intubação orotraqueal e rebaixamento do nível de consciência. O treinamento foi realizado em 2 dias, na própria unidade de internação, com uso de ilustrações sendo os responsáveis os nutricionistas e enfermeiro da equipe de suporte nutricional. Observou-se redução em termos percentuais de diarreia, vômito, emêse, náuseas, obstrução da sonda, extravasamento da dieta, regurgitação, cólicas abdominais, refluxo flatulência e broncoaspiração. Ocorreu um aumento de frequência de estase, saída não programada da sonda, obstipação, distensão abdominal e volume residual gástrico. Todos os casos de saída não programada da sonda se referiram a pacientes que tracionaram a sonda.

Conclusões:Para promover resultados positivos e reduzir a incidência de eventos adversos, recomenda-se que a equipes multidisciplinares de suporte nutricional, promovam o treinamento periódico, pois neste estudo observou-se redução da frequência de onze das dezesseis complicações. Sugere-se que a avaliação da frequência de eventos adversos seja um indicador da qualidade em suporte nutricional e que inicie uma sequência de ações para resolução de problemas que possam gerá-los. Ferramentas de controle de qualidade devem ser utilizadas no setor de saúde, pois efetividade do processo em saúde significa melhoria da qualidade de vida de um ser humano.

Palavras-chave:Terapia nutricional enteral. Eventos adversos. Indicadores da qualidade. Controle de qualidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador