Artigo

AS IDENTIDADES BRASILEIRAS NATIVAS EM O BANQUETE DOS DEUSES DE DANIEL MUNDURUKU

MIRANDA, Matheus Vinicius Diniz1; THIEL, Janice Cristine2;

Resumo

Introdução:A identidade e? uma construc?a?o feita pelos indivi?duos a partir de ana?lises das caracteri?sticas fi?sicas, da personalidade, dos ha?bitos, das tradic?o?es, do nascimento e da localizac?a?o. Para discutirmos sobre identidade, devemos compreender e aplicar o conceito de alteridade. Esta consiste em reconhecer as pessoas que nos rodeiam como seres fundamentais para nossa pro?pria formac?a?o intelectual, social, poli?tica, cultural. Implica aceitar as diferenc?as do outro, dialogar com ele e buscar conhecer sua cultura e suas viso?es de mundo.

Objetivo:Assim, esta pesquisa visa refletir sobre a construc?a?o de identidades dos indi?genas brasileiros com base na obra O banquete dos deuses: conversa sobre a origem da cultura brasileira (1999), de Daniel Munduruku, evidenciando a multiculturalidade e articulando-a com a tradic?a?o este?tico-litera?ria indi?gena brasileira contempora?nea.

Metodologia:O me?todo deste estudo foi realizado por meio de pesquisa teo?rica e revisa?o bibliogra?fica, articulando os textos de fundamentac?a?o teo?rica com o livro de Munduruku.

Resultados:Estereo?tipos e concepc?o?es inadequadas sa?o criados a respeito dos indi?genas brasileiros, como a ideia de que sa?o selvagens e preguic?osos. Boa parte desses julgamentos solidificou-se pelo fato de haver certo enaltecimento dos colonizadores europeus e uma depreciac?a?o dos colonizados. A figura do i?ndio brasileiro na literatura e nos livros dida?ticos pressupunha um indi?gena totalmente padronizado, com atitudes negativas e sempre com as mesmas caracteri?sticas, tradic?o?es, rituais e crenc?as. Com o passar do tempo, essas imagens foram sendo desconstrui?das e os nativos brasileiros ganharam maior espac?o no mundo ocidental. A literatura indi?gena tambe?m ascendeu de modo significativo, mas ainda ha? vesti?gios de pensamentos e opinio?es preconceituosas e equivocadas sobre os i?ndios. Daniel Munduruku, mediante sua obra, compartilhou histo?rias, pontos de vista e experie?ncias sendo, simultaneamente, representante indi?gena, escritor e educador no mundo ocidental. Munduruku evidenciou que as identidades brasileiras nativas se manifestam por meio das memo?rias ancestrais, das relac?o?es de revere?ncia e gratida?o a? Ma?e-terra, da noc?a?o de pertencimento e tambe?m por meio da multiplicidade de ge?neros litera?rios.

Conclusões:O autor carrega consigo a tradic?a?o oral indi?gena de contac?a?o de histo?rias, mas, a fim de dialogar tambe?m com os na?o i?ndios, redige sua obra em li?ngua portuguesa,utilizando diversos ge?neros, tais como ensaios, contos, orac?o?es e depoimentos. Esta pesquisa acentuou o alcance das construc?o?es identita?rias e a multiculturalidade dos indi?genas brasileiros na contemporaneidade. Ale?m disso, confirmou que a literatura constro?i realidades e conhecimento e forma viso?es de mundo que permeiam o imagina?rio humano.

Palavras-chave:Literatura indi?gena. Identidade. Alteridade. Daniel Munduruku.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador