Artigo

OCORRÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS SP. EM QUEIJOS DO TIPO MINAS FRESCAL COMERCIALIZADOS EM FEIRAS LIVRES E SUPERMERCADOS NO OESTE DO PARANÁ

SCHER, Debora Diana1; HOSCHEID, Jaqueline2;

Resumo

Introdução:Staphylococcus sp. estão entre os patógenos humanos mais importantes relacionados à intoxicações alimentares. A intoxicação alimentar estafilocócica é atribuída à ingestão de enterotoxinas produzidas e liberadas pela bactéria durante sua multiplicação em diferentes tipos de alimentos, sendo o queijo um dos principais alimentos relacionados com essa enfermidade. A manipulação dos alimentos por indivíduos com a presença da bactéria em suas mãos destaca-se como a principal fonte de contaminação. A indústria adota as Boas Práticas de Fabricação (BPF), que consiste em um sistema de controle de qualidade, que visa garantir a segurança alimentar. Quando a produção do queijo ocorre de forma artesanal, nem sempre são observadas as BPF e os controles higiênico-sanitários recomendados, colocando em risco a saúde do consumidor.

Objetivo:O objetivo deste estudo foi verificar a presença de bactérias patogênicas do gênero Staphylococcus em queijos tipo Minas Frescal, comercializados em feiras livres e supermercados do Oeste do Paraná.

Metodologia:Foram analisados 15 amostras de queijos tipo Minas Frescal. Sendo seis amostras formais/industrializadas, e submetidas à inspeção, comercializadas em supermercados, e nove oriundas de produtores informais/artesanais, comercializadas em feiras livres da região Oeste do Paraná.

Resultados:Em oito amostras (53,33%), dentre as quais duas eram de procedência industrial, e seis artesanais, foram observadas a fermentação do ágar manitol salgado, as colônias características dessas oito amostras, foram utilizadas para realização das provas bioquímicas. As bactérias isoladas, apresentaram-se em forma de cocos gram-positivos, característico dos gêneros Staphylococcus e Streptococcus. Estes foram diferenciados por meio da prova da catalase, sendo confirmado o gênero Staphylococcus em todas as amostras. Em seguida foi realizada a prova bioquímicas para coagulase, onde as oito amostras analisadas apresentaram resultado positivo. Três espécies pertencentes ao gênero Staphylococcus estão associadas a surtos de intoxicação alimentar e podem apresentar resultados coagulase-positivas, sendo elas S. aureus, S. intermedius e S. hyicus. Contudo, para a diferenciação destas espécies, técnicas mais sensíveis são necessárias.

Conclusões:A presença destas bactérias evidencia a falta de condições higiênico-sanitárias durante as etapas de produção e/ou após o processamento, através do manuseio inadequado e/ou refrigeração insuficiente.

Palavras-chave:Derivado de leite. Contaminação microbiana. Cocos gram-positivos.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador