Artigo

ARTE COMO FERRAMENTA DE VINCULAÇÃO E REDUÇÃO DE DANOS NO TRABALHO SOCIAL COM POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

ALMEIDA, Deby Caroline Eidam de1; SILVEIRA, Jucimeri Isolda2;

Resumo

Introdução:A presente pesquisa aborda a importância da arte como dispositivo que facilita a vinculação da população em situação de rua e em uso de drogas a processos educativos em Direitos Humanos e redutores de danos. O estudo parte da problematização das formas tradicionais de controle das pessoas, especialmente as mais vulneráveis socialmente, no âmbito das políticas públicas. Tal realidade pode ser constatada no ordenamento de instituições direcionadas para o controle dos corpos tidos como improdutivos e fora do padrão normativo dominante. As políticas de Assistência Social e Saúde historicamente modelaram ações segregadoras e violadoras de direitos.

Objetivo:Analisar a aplicação da arte e das estratégias participativas em espaços sociais de desenvolvimento do trabalho social com população com histórico e em processo de saída das ruas.

Metodologia:Para análise dos múltiplos fatores que condicionam a situação de rua, o estudo baseia-se na pesquisa sobre o perfil da população em situação de rua em Curitiba. Já os fundamentos teóricos e éticos sustentam-se na concepção do afeto em Spinoza e em referências éticas e técnicas que reforçam a arte como ferramenta com potencial de vinculação social, produção de alteridades e de novas práticas e saberes. Foi realizada pesquisa de empírica com um coletivo de pessoas atendidas pelo Centro Pop na cidade de Franca durante o Festival Amalgama.

Resultados:A vivência da pesquisa de campo, com participação de um grupo de pessoas em situação de rua, oportunizou a constatação da importância de ambientes dialógicos, afetivos e transformadores pela aplicação da arte e de novas posturas éticas. A situação de rua e o uso de drogas são processos sociais, que acabam, pela cultura instituída, estigmatizando a população. Neste sentido, as práticas profissionais têm falhado no estabelecimento de vínculos e na construção de estratégias que facilitem a abertura para o trabalho social protetivo e de cuidado. É preciso produzir conhecimentos que além de interpelar as práticas institucionais tradicionais, possam inovar na perspectiva do fortalecimento de vínculos, considerando a importância do afeto na realização humana e da autonomia dos sujeitos de direitos.

Conclusões:que as práticas artísticas podem facilitar a construção de vínculos de confiança entre profissionais da área e população usuária dos serviços sociais, na direção de novas relações e da construção de espaços emanicipatórios em direitos humanos.

Palavras-chave:Redução de danos. Direitos Humanos. Arte. Vínculos.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador