Artigo

SUSCETIBILIDADE A MASTITE EM VACAS EM PERÍODO DE TRANSIÇÃO OU PERI-PARTO

JOHANSSON, Alexandre Weber1; MORGANTI, Rafaeli3; GREBOGI, Alceu3; CHI, Kung Darh2;

Resumo

Introdução:A mastite é uma infecção intramamária que pode ser causada por vários agentes bacteriológicos decorrentes a diversos fatores. Exemplo destes pode ser o estresse, mudanças comportamentais, mudanças fisiológicas e nutricionais. A doença pode ser tanto de origem ambiental quanto contagiosa. Durante o período de peri-parto, a vaca enfrenta diversos fatores de estresse que pode deixar o animal sucetível a infecção bacteriana. Dessa forma, é de grande importância conhecer os agentes causadores da doença, principalmente os infecciosos, saber como combatê-los de maneira eficaz.

Objetivo:Este estudo tem como objetivo mostrar as principais bactérias causadoras de mastite no período peri-parto e os possíveis antibióticos a serem usados no tratamento, assim como sua eficiência nestes organismos.

Metodologia:As amostras de leite foram oriundas de vacas do Setor de Bovinocultura Leiteira da Fazenda Experimental da Gralha Azul, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, situada no município de Fazenda Rio Grande, Paraná. O leite, após coletado foi então encaminhado ao laboratório que está situado na Clínica Veterinária Escola, em Curitiba, Paraná, e foram inoculados em placas ágar sangue e ágar MacConkey para cultivo das bactérias. Após 24h na estufa de crescimento, regulada para 37 graus Celsius, foram identificadas e testadas. Feito o antibiograma, os agentes mostraram sensibilidade ou resistência aos antibióticos testados.

Resultados:O organismo de maior incidência nas amostras de leite foi o Staphylococcus aureus (33,3%), seguido de Bacillus sp., Corynebacterium bovis, Staphylococcus sp. e Staphylococcus intermedius (14,2%), e Escherichia coli (9,5%). Os antibióticos que mais apresentaram resistência as bactérias foram Penicilina G (87,5%), Ampicilina (62,5%), Sulfonamida (37,5%), Estreptomicina (25%), Tetraciclina (12,5%) e Cefalexina (12,5%). Gentamicina, Enrofloxacina e Neomicina foram 100% eficazes.

Conclusões:Não se pode esquecer que a vaca sofre mudanças nutricionais, fisiológicas e comportamentais, e com maior intensidade no período peri-parti, ou seja, é crucial dar a vaca um ambiente limpo e um manejo adequado para que seu estresse seja reduzido e suas necessidades supridas. Caso contrário, a mastite estará presente no rebanho, seja ela ambiental ou contagiosa, e as bactérias poderão desenvolver resistência aos antibióticos se estes forem usados erroneamente

Palavras-chave:Vaca leiteira. Período peri-parto. Mastite. Bactérias. Antibióticos.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador